Cellnex em negociações para comprar torres na Europa da Hutchison de Hong Kong

Para a Cellnex a compra envolveria entrar em três novos países (Suécia, Áustria e Dinamarca) e reforçar a sua posição na Irlanda, onde já tem 1.146 torres, no Reino Unido, onde conta com 8 mil 135 torres, e na Itália, país onde já possui 14 mil 491 torres.

A espanhola Cellnex está em negociações avançadas com o grupo de Hong Kong Hutchison para comprar parte do seu negócio de torres na Europa, refere o diário económico espanhol Expansión, segundo a Bloomberg.

O negócio de torres da Hutchison na Europa engloba cerca de 28 mil e 500 localizações em seis países da Europa (Reino Unido, Itália, Irlanda, Suécia, Áustria e Dinamarca) e poderia ser adquirido pela Cellnex por cerca de nove milhões de euros, pelo que seria a operação mais importante da história da empresa espanhola, já que poderia crescer de repente quase 40% e superar as 100 mil localizações.

A Hutchison, fundada pelo multimilionário de Hong Kong Li Ka-shin, tem estado a trabalhar com conselheiros para criar uma empresa com as suas torres europeias como uma subsidiária separada e já tinha considerado vender uma parte minoritária do negócio.

Porém, uma venda total ajudaria o grupo de Hong Kong a reduzir dívida e a financiar os grandes investimentos que devem fazer para implantar as redes 5G.

Para a Cellnex a compra envolveria entrar em três novos países (Suécia, Áustria e Dinamarca) e reforçar a sua posição na Irlanda, onde já tem 1.146 torres, no Reino Unido, onde conta com 8 mil 135 torres, e na Itália, país onde já possui 14 mil 491 torres.

A agência assinala, porém, que a operação não está fechada e que ainda pode não acontecer. Também poderia ainda reduzir a sua ambição e não englobar todos os países do grupo asiático, já que nalguns deles, como são os casos da Itália e do Reino Unido, a sua presença já é muito significativa, podendo não precisar de aumentá-la mais.

Ler mais
Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Sindicato denuncia que Ryanair se prepara para despedir 23 tripulantes no Porto enquanto abre processo de recrutamento

O SNPVAC denuncia que, ao mesmo tempo que a companhia aérea avança para o despedimento coletivo, já está a realizar cursos para novos tripulantes “violando grosseiramente o Código de Trabalho”, segundo o sindicato.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários