Cellnex em negociações para comprar torres na Europa da Hutchison de Hong Kong

Para a Cellnex a compra envolveria entrar em três novos países (Suécia, Áustria e Dinamarca) e reforçar a sua posição na Irlanda, onde já tem 1.146 torres, no Reino Unido, onde conta com 8 mil 135 torres, e na Itália, país onde já possui 14 mil 491 torres.

A espanhola Cellnex está em negociações avançadas com o grupo de Hong Kong Hutchison para comprar parte do seu negócio de torres na Europa, refere o diário económico espanhol Expansión, segundo a Bloomberg.

O negócio de torres da Hutchison na Europa engloba cerca de 28 mil e 500 localizações em seis países da Europa (Reino Unido, Itália, Irlanda, Suécia, Áustria e Dinamarca) e poderia ser adquirido pela Cellnex por cerca de nove milhões de euros, pelo que seria a operação mais importante da história da empresa espanhola, já que poderia crescer de repente quase 40% e superar as 100 mil localizações.

A Hutchison, fundada pelo multimilionário de Hong Kong Li Ka-shin, tem estado a trabalhar com conselheiros para criar uma empresa com as suas torres europeias como uma subsidiária separada e já tinha considerado vender uma parte minoritária do negócio.

Porém, uma venda total ajudaria o grupo de Hong Kong a reduzir dívida e a financiar os grandes investimentos que devem fazer para implantar as redes 5G.

Para a Cellnex a compra envolveria entrar em três novos países (Suécia, Áustria e Dinamarca) e reforçar a sua posição na Irlanda, onde já tem 1.146 torres, no Reino Unido, onde conta com 8 mil 135 torres, e na Itália, país onde já possui 14 mil 491 torres.

A agência assinala, porém, que a operação não está fechada e que ainda pode não acontecer. Também poderia ainda reduzir a sua ambição e não englobar todos os países do grupo asiático, já que nalguns deles, como são os casos da Itália e do Reino Unido, a sua presença já é muito significativa, podendo não precisar de aumentá-la mais.

Recomendadas

PremiumDiretor-geral da AWS diz que Portugal “está num caminho fantástico”

A empresa de computação na nuvem do grupo Amazon prevê que o investimento de 2,5 mil milhões de euros em Espanha também seja benéfico para o mercado português.

Fundo da CGD pede insolvência pessoal do empresário Alfredo Casimiro

Fundo imobiliário Fundimo, da Caixa Geral de Depósitos, tem 973 mil euros a receber da Urbanos, a empresa de transportes detida por Alfredo Casimiro, que é também o principal acionista da Groundforce.

Lesados do BES em França enviam “mensagem” a futuro Governo

“Estamos aqui neste novo protesto para dizer aos políticos em Portugal que o nosso caso não está resolvido. Isto é uma mensagem no fim de 2021 para o futuro Governo, que vai ser eleito em janeiro, diz Carlos Costa dos Santos, coordenador dos Emigrantes Lesados Unidos (ELU), em declarações à Agência Lusa.
Comentários