Centeno diz que dívida é sustentável. Mortágua considera posição “irresponsável”

Num debate na Comissão de orçamento e Finanças (COFMA), no âmbito da temática “Avaliação do endividamento público e externo”, Mário Centeno referiu que a sustentabilidade da dívida depende de “um conjunto de melhorias na forma como a economia funciona”, que, diz, “o Governo tem implementado”.

“A dívida portuguesa é sustentável, se for acompanhada de uma política orçamental rigorosa”, garantiu o ministro das Finanças, esta quarta-feira, numa posição que a deputada do Bloco de Esquerda (BE) Mariana Mortágua considerou ser “irresponsável”.

Num debate na Comissão de orçamento e Finanças (COFMA), no âmbito da temática “Avaliação do endividamento público e externo”, Mário Centeno referiu, também, que a sustentabilidade da dívida depende de “um conjunto de melhorias na forma como a economia funciona”, que, diz, “o Governo tem implementado”.

Em resposta, na intervenção que fez, a deputada do BE afirmou que quem defende que “isto é sustentável”, quem “diz que a dívida é sustentável e que os tratados são cumpríveis” é “irresponsável”.

Mariana Mortágua diz que é “factualmente impossível” o cumprimento do rácio, por Portugal, de uma dívida equivalente a 60% do produto interno bruto (PIB).

“Vai haver uma crise nos próximos 20 anos e Portugal vai ser o elo mais fraco”, vaticinou.

Relacionadas
Mourinho Félix: “Emissão correu bem. Taxas continuam a reduzir-se”
O IGCP – Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública colocou 950 milhões de euros num duplo leilão de OT a 10 e 16 anos, a taxas mais baixas que nas emissões comparáveis anteriores.
“A emissão de obrigações panda está numa fase final de execução”, diz Centeno
O Ministério das Finanças foi chamado à COFMA – Comissão de Orçamento e Finanças e Modernização Administrativa, com o objetivo de analisar a sustentabilidade da dívida portuguesa que no final de 2017 estava nos 125,7%.
Recomendadas
Metro e Carris podem reforçar meios face a manifestação de taxistas
Os taxistas saem para a estrada em protesto, na quarta-feira, contra a lei que regula as quatro plataformas eletrónicas de transporte que operam em Portugal. Metro e Carris irão avaliar necessidade de reforço de meios.
Inquérito considerado racista pode resultar numa multa até 8 mil euros
Além do inquérito que está a correr na Direção-geral de Educação, também a Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial tem um procedimento a correr para perceber o que correu mal, já que a comissão recebeu várias queixas.
Governo admite “problema” nas novas pensões
“Esses são a nossa prioridade e penso que, até ao final do ano, todos os casos de longa duração serão resolvidos”, explicou o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.
Comentários