PremiumCEO da Unicre: “Depois do Porto, estamos em conversas para pagamento ‘contactless’ nos transportes em Lisboa”

Pioneira nos cartões de crédito em Portugal, a Unicre lança um ‘rebranding’ para salientar a base digital, atrair clientes jovens e abrir portas a mercados internacionais, revela o presidente da empresa, João Baptista Leite.

A empresa está hoje a anunciar um rebranding , um novo posicionamento corporativo. O que é que isso envolve?
A Unicre está no mercado há 45 anos e ao longo deste tempo tem acompanhado todos os nossos clientes, desde os particulares do ponto de vista de cartões e soluções de pagamento, tal como na Redunicre agora chamada Reduniq no processo de aceitação. Somos líder de mercado e temos sido lideres de mercado com uma capacidade de resiliência extraordinária num mercado bastante complexo. Mas o mundo mudou, e está a mudar em grande velocidade. Aquilo a que chamamos a transformação digital, passou a ser o nosso dia-a-dia, passou a ser o business as usual, e assim o entendemos. Já não é uma estratégia, é um status quo, é assim que nós vamos viver nos próximos 10/15 anos. A rede Unicre e a Unibanco fizeram um trajeto sustentável ao longo destes anos mas é, de facto, determinante dar um salto para nos aproximar mais dos clientes. Esta nova imagem pretende transmitir exatamente isso, uma maior abertura no mercado aberto, maior proximidade aos clientes e uma base tecnológica que é assim que nós conseguimos criar soluções simples para os nossos clientes. Portanto a ideia é relançar esta marca, uma oportunidade para falarmos com os nossos clientes e com os nossos parceiros e, este posicionamento neste mercado altamente competitivo que é o mercado dos pagamentos.

Pode assistir à versão integral da entrevista em vídeo em https://jornaleconomico.sapo.pt/je-tv.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários