CGD e Fundo Europeu de Investimento assinam nova linha de 200 milhões para as empresas

No âmbito deste programa COSME, a CGD lança uma nova linha de crédito de 200 milhões de euros, com garantias mais competitivas, para apoiar as empresas em Portugal.”O acordo beneficia do apoio do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), a base do Plano de Investimento para a Europa, o Plano Juncker”, diz a Caixa. 

Cristina Bernardo

O Fundo Europeu de Investimento (FEI) e a Caixa Geral de Depósitos (CGD) assinam, no próximo dia 29 de maio, na Culturgest  em Lisboa, um novo acordo no âmbito do programa da Comissão Europeia – COSME.

No âmbito deste programa COSME, a CGD lança uma nova linha de crédito de 200 milhões de euros, com garantias mais competitivas, para apoiar as empresas em Portugal.

“O acordo beneficia do apoio do Fundo Europeu para Investimentos Estratégicos (FEIE), a base do Plano de Investimento para a Europa, o Plano Juncker”, diz a Caixa.

Esta linha “favorece o desenvolvimento e/ou robustecimento de novos negócios em Portugal enquanto fator determinante para a constante revitalização da economia”.

A sessão conta com as presenças de Paulo Macedo, Presidente da Comissão Executiva da CGD; Alessandro Tappi – Chief Investment Officer – do Fundo Europeu de Investimento e Chiara Amadori – Head of Unit, Competence Centre for Culture and Education – do Fundo Europeu de Investimento.

Recomendadas

Julgamento de Ricardo Salgado volta a ser adiado (com áudio)

O julgamento foi adiado a pedido do Ministério Público e marcado para 6 de julho.

BES: Fundos internacionais lesados exigem ser ressarcidos ou boicotam recuperação europeia

Um grupo de investidores institucionais internacionais coordenado pelo fundo Attestor Capital, lesados em 2.000 milhões de euros no caso BES, quer que a Comissão Europeia (UE) resolva o caso, sob pena de não financiarem a recuperação económica pós-pandemia.

Novo Banco: PSD contraria Mourinho Félix quanto à retransmissão de obrigações de 2015

Acusando o antigo governante socialista de dizer “coisas que contradizem os factos”, Hugo Carneiro contrariou a versão de Mourinho Félix quanto à subida dos juros após a retransmissão de obrigações em 2015, dizendo que esta aconteceu sim após a apresentação do Orçamento do Estado de 2016.
Comentários