Chega manifesta-se contra confinamento geral e alerta Marcelo para “restrições absurdas”

Embora reconheça a gravidade da situação, André Ventura disse que alertou Marcelo Rebelo de Sousa para as “restrições absurdas, para medidas de completa desnecessidade que só prejudicam e nada ajudam”.

O presidente do Chega, André Ventura anunciou que o partido opõe-se ao confinamento geral esta terça-feira, por vídeo, depois de ter conversado com o Presidente da República.

“Mantemo-nos contra o estado de emergência”, apontou André Ventura sublinhando que o partido continua a manter “as mesmas reservas”. “Compreendemos perfeitamente, como o país também compreende, a gravidade da situação em que vivemos, a necessidade de restrições para evitar a pressão sobre o serviço de saúde, sobre as instituições”, começou por explicar o líder do Chega.

Embora reconheça a gravidade da situação, André Ventura disse que alertou Marcelo Rebelo de Sousa para as “restrições absurdas, para medidas de completa desnecessidade que só prejudicam e nada ajudam”. “Naturalmente para nós o encerramento absoluto de comércio, de serviços, de restauração, cafetarias é um erro”, completou.

“Portanto, vamos partir desta premissa de que não há nenhum estudo que demonstre que é neste espaço onde o contágio está a crescer para além de que vamos ter um problema gravíssimo”, afirmou André Ventura prevendo que o país venha a ter “ainda mais de desemprego, de falências de destruição económica”.

“Num país onde os apoios tardam em chegar, onde são mto burocráticos e onde basicamente o governo passou a olhar para o lado destes setores que agora não sabem o que hão de fazer”, afirmou o representante do Chega.

André Ventura disse que lembrou Marcelo que “António Costa disse há uns meses atrás que o país não aguentaria um novo confinamento geral e é isso que vai agora regulamentar”. “Há aqui uma incoerência muito grande, uma inconsistência que nós não podemos deixar de apontar”, acrescentou.

Além da restauração, André Ventura considerou ainda “fundamental” manter as escolas abertas. “Porque então aí é o mesmo que dizer que o país está fechado”, frisou.

Ler mais
Relacionadas

André Ventura testa negativo à Covid-19

Foi permitido a André Ventura sair do isolamento profilático porque “A DGS [Direção Geral de Saúde] considerou que não foi contacto de risco”, segundo assessoria do presidente do Chega.

André Ventura garante novamente que se demite se fizer “um mau trabalho” e ficar atrás de Ana Gomes

Sublinhando que a antiga eurodeputada não conta com o apoio oficial do PS, o líder do Chega reiterou a sua promessa de se demitir caso fique atrás de Ana Gomes, adivinhando ainda que dentro do PS há mais militantes que desejam a sua vitória do que a da socialista.
Recomendadas

Deputados aprovam orçamento suplementar da Assembleia da República

No plano da receita, é integrada uma verba de 9,9 milhões de euros, relativa à rubrica “saldo da gerência anterior/saldo orçamental”.

Concelhos em alerta. Só Cabeceiras de Basto dá o passo atrás no desconfinamento

O cordão sanitário manter-se-á nas duas freguesias de Odemira. Ainda assim, a ministra Mariana Vieira da Silva diz que a redução da incidência do vírus “é um sinal de uma pandemia que se encontra controlada, pese embora a existência de surtos”.

Luís Osório: “António Costa é um político à antiga. Poderia discutir política com Soares, Cunhal ou Sá Carneiro”

“Ficheiros Secretos – Histórias Nunca Contadas da Política e da Sociedade Portuguesas” é o novo livro de Luís Osório, que se propõe a contar histórias até agora desconhecidas de protagonistas como Mário Soares, Álvaro Cunhal, Cavaco Silva, entre outros. Saiba mais nesta Fast Talk da JE TV com o jornalista e escritor.
Comentários