Cinco startups portuguesas na corrida para entrar na rede Tech 5

DefinedCrowd, Sword Health, Jscrambler, 20tree.ai e Barkyn são as finalistas nacionais. É o segundo ano que Portugal participa no concurso criado pela Adyen e The Next Web.

As cinco startups portuguesas que foram escolhidas para disputar a final da competição Tech5 foram conhecidas esta sexta-feira: DefinedCrowd, Sword Health, Jscrambler, 20tree.ai e Barkyn. As empresas nacionais estão agora na corrida para entrar nesta rede tecnológica internacional criada pela Adyen e pela The Next Web (TNW) e irão enfrentar as congéneres da Europa.

Adaptação ao mercado feita, capital levantado, rondas de investimento fechadas, crescimento conseguido, cobertura nos meios de comunicação social e impacto social serão alguns dos critérios tidos em conta pelos jurados (investidores, especialistas em tecnologias e “influenciadores”) na edição 2020, naquele que é o segundo ano em que Portugal participa.

Nos últimos seis anos, os finalistas do Tech 5, como Transferwise, Delivery Hero, Cabify, Foodpanda e Emma Mattress, arrecadaram mais de 20 mil milhões de euros de financiamento.

“Estamos a contar com cada vez mais talento no mercado de startups portuguesas, que estão a demonstrar uma capacidade de inovação e adaptação muito superior ao de outros mercados. Queremos felicitar estes cinco finalistas e desejar-lhes a melhor das sortes na final, contra as restantes scale-ups europeias”, afirmas o country Manager de Adyen na Península Ibérica, Juan José Llorente.

Quem são os finalistas portugueses?

DefinedCrowd – Criada em Seattle por portugueses, desenvolve soluções de inteligência artificial para permitir que os robôs percebam melhor as indicações dadas pelos seres humanos. Na sua última ronda de financiamento, a empresa conseguiu quase 12 milhões de dólares (cerca de 11 milhões de euros) de investimento por parte de empresas como a Amazon ou a Sony. No total, já angariou 12,9 milhões de dólares (cerca de 12 milhões de euros), em financiamento.

Sword Health – Primeiro sistema de fisioterapia digital com recurso à inteligência artificial, desenvolvendo uma ligação entre um fisioterapeuta online e as equipas médicas no terreno, para proporcionar o melhor tratamento possível. Conseguiu angariar 4,6 milhões de dólares (cerca de 4,2 milhões de euros) na última ronda de investimento. No total, conta com 4,8 milhões de dólares (cerca de 4,4 milhões de euros) em termos de financiamento.

Jscrambler – Com sede na cidade do Porto, é especializada em criar soluções de segurança para evitar fraudes em páginas web que são criadas em Javascript além de monitorizar possíveis quebras de segurança. Na última ronda de investimento, conseguiu angariar 2,3 milhões de dólares (cerca de 2,1 milhões de euros).

20tree.ai – Através de imagens recolhidas por satélite, utiliza inteligência artificial para ter uma melhor perceção dos padrões de crescimento de florestas. Também contribui para prever o impacto de projetos de agricultura e desenvolvimento urbano em espaços verdes. Na última ronda de investimento, conseguiu 120 mil dólares (cerca de 110 mil euros) de financiamento.

Barkyn – Criada na cidade do Porto, desenvolveu um serviço de subscrição mensal online a pensar nos animais de estimação, com benefícios que vão desde a entrega de ração, brinquedos, snacks até acompanhamento veterinário. Na última ronda de investimento, conseguiu angariar 1,7 milhões de euros.

O vencedor será anunciado na conferência anual Founder’s Day da TNW, que se vai realizar no próximo dia 17 de junho, em Amesterdão.

Ler mais
Recomendadas

PremiumNovo investidor na TAP terá de manter centro de decisão em Portugal

Há vários interessados na TAP além da Lufthansa, garantiu ao JE uma fonte próxima do processo. Estado quer garantir objetivos estratégicos para dar ‘luz verde’ a venda de posição de Neeleman.

LeasePlan lança solução integrada para veículos elétricos

A LeasePlan desenvolveu uma solução integrada para quem conduz veículos elétricos, para que seja possível carregá-los onde quiser sem constrangimentos.

Prejuízo da Farfetch sobe para 110,1 milhões no quarto trimestre. Negócio não sofreu com o coronavírus

A empresa luso-britânica reportou receitas de mil milhões de dólares no acumulado do ano passado, o que representa um aumento de 69% em relação ao ano anterior. Só no quarto trimestre as vendas cresceram para 382 milhões de dólares. Para o primeiro trimestre de 2020, a tecnológica antecipa um acréscimo de 20% a 22% no volume total processado pela plataforma digital.
Comentários