Clotilde Celorico Palma: “Temos o terceiro maior registo de navios a nível europeu”

A membro do conselho de administração da SDM considera que a lei que permite guardas armados a bordo passará a ter um grande valor acrescentado para a região.

Cristina Bernardo

Clotilde Celorico Palma, fiscalista e membro do conselho de administração da SDM – Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, disse hoje na Conferência “Do CINM à Autonomia Fiscal – Madeira, Uma Região Regulada de Fiscalidade Atrativa” que “tem visto um exercício de hipocrisia em relação ao regime de tributação privilegiado”.

A trabalhar há mais de 20 anos nesta área e participante em várias reuniões em instituições europeias, a fiscalista salientou tem visto “vários governos e de várias cores” em que uns “defendem o regime, mas outros não”. “Eu sou otimista por isso acredito na bondade do regime que está regulado e funciona bem”, disse durante a conferência, organizada em Lisboa esta segunda-feira pelo Económico Madeira e o Jornal Económico, com o apoio da Abreu Advogados e com o alto patrocínio do Governo Regional.

Em relação à lei que permite guardas armados a bordo, uma medida fundamental no combate à pirataria, Clotilde Celorico Palma considera que esta é uma decisão que “passará a ter um grande valor acrescentado”.

“Nós temos o terceiro maior registo de navios a nível europeu”, acrescenta. De acordo com dados de 30 de junho de 2019 são 653 embarcações registadas, sendo que 537 são navios de comércio, 81 embarcações de recreio e 35 iates comerciais. Em relação ao futuro, a fiscalista considera ainda que o registo de aeronaves é uma “proposta bastante interessante”.

Sobre a criação de um Golden Visa para a região, a especialista mostra-se confiante. “Podemos fazer um regime de residente habituais na Madeira sem qualquer tipo de limitação”, concluiu.

Recomendadas

PremiumNegócio da banca passa cada vez mais por novos serviços

O responsável pela área de banca e setor financeiro da VdA diz que os bancos estão a deixar de ser bancos de balanço, que concedem crédito e recebem depósitos, para passarem a ser “bancos de serviço”. O que, defende, cria um novo paradigma.

Saiba o que pode fazer no caso de não ter meios para contratar os serviços de um advogado

O requerimento de apoio judiciário deve ser apresentado em qualquer serviço de atendimento ao público da Segurança Social, mediante o preenchimento de um formulário próprio.

Justiça ‘reality show’

Do que aqui se trata não é da questão da violação do segredo de justiça: essa existe, todos sabemos. Aquilo a que me refiro é a processos que fruto da inércia investigatória das autoridades, acidental ou propositada, podem ser licitamente acedidos e divulgados.
Comentários