Coligação PSD/CDS-PP no Funchal não deve integrar mais partidos (com áudio)

O líder do PSD Madeira disse que o acordo para as eleições autárquicas com o CDS-PP Madeira é reflexo “de uma experiência de coligação governamental que, modéstia à parte e sem falsas humildades, tem corrido bem e a nossa ideia é replicar esta fórmula que tem tido sucesso perante o serviço público que prestamos também a nível autárquico”, enquanto que o líder do CDS-PP Madeira classificou o acordo autárquico firmado de “histórico” entre “dois partidos fundadores da democracia, entre dois partidos que acreditam no municipalismo e na subsidiariedade, porque o poder local é o que está mais próximo e representa sempre melhor os interesses das populações e a descentralização”.

Homem de Gouveia/Lusa

O presidente do Governo Regional da Madeira e líder do PSD Madeira, Miguel Albuquerque, afirmou que “o que está decidido é que a coligação será, institucionalmente, entre os dois partidos, mas está aberta à sociedade civil”, durante a assinatura com o presidente do CDS-PP/Madeira, Rui Barreto, do acordo autárquico que substancia a coligação entre os dois partidos.

Para o social-democrata, o acordo reflete, “antes de mais, um sentido de responsabilidade dos dois partidos, o sentir das populações dos respetivos concelhos e da Região Autónoma da Madeira”.

“Este acordo é também o reflexo de uma experiência de coligação governamental que, modéstia à parte e sem falsas humildades, tem corrido bem e a nossa ideia é replicar esta fórmula que tem tido sucesso perante o serviço público que prestamos também a nível autárquico”, frisou.

Por seu lado, o presidente do CDS, Rui Barreto, classificou o acordo autárquico firmado hoje de “histórico” entre “dois partidos fundadores da democracia, entre dois partidos que acreditam no municipalismo e na subsidiariedade, porque o poder local é o que está mais próximo e representa sempre melhor os interesses das populações e a descentralização”.

Depois de anunciar que o PSD e o CDS vão também apoiar a recandidatura do independente Ricardo Nascimento na Ribeira Brava, Rui Barreto destacou o “bom relacionamento institucional que se tem verificado entre os dois partidos”.

A coligação PSD/CDS apresenta como candidato à presidência da Câmara Municipal do Funchal o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, que defrontará o atual presidente Miguel Gouveia, eleito pela coligação “Confiança” formada pelo PS, BE, PRD e Nós, Cidadãos!.

Além do Funchal, os centristas e os social-democratas vão concorrer coligados às outras câmaras onde são oposição: Santa Cruz, Machico, São Vicente, Porto Moniz, Ponta do Sol e Porto Santo.

Por lei, as eleições podem ser marcadas entre 22 de setembro e 14 de outubro.

Ler mais
Recomendadas

Madeira perdeu mil milhões de euros devido à pandemia

A Madeira teve uma quebra de 20% no PIB devido à pandemia, disse o vice-presidente do executivo madeirense.

ARIC critica presidente do Sindicato dos Jornalistas da Madeira sobre a morte da rádio

A ARIC diz que as declarações do presidente do Sindicato dos Jornalistas da Madeira “ferem os jornalistas e radialistas”, acrescentando que as afirmações revelam “um total desconhecimento” da forma como as rádios madeirenses funcionam.

Madeira: Nós Cidadãos quer programa de transformação digital na Educação

O partido defende o acesso a todos os profissionais da educação a um computador em todas as salas de aulas da região. O Nós Cidadãos diz que a acessibilidade digital “continua a ser uma miragem” para muitos alunos na região, e que na educação ter um computador não é um luxo mas um bem necessário.
Comentários