Comércio externo: Preços dos produtos importados aumentaram 1,1 % em Julho

Os preços dos produtos importados aumentaram 1,1 por cento (%) no mês de Julho, valor inferior em 0,3 pontos percentuais (p.p.) em relação a Junho, revela o Instituto Nacional de Estatística.

Os dados mostram que a taxa de variação mensal dos preços dos produtos exportados fixou-se em 0,8% em Julho deste ano, valor inferior em 0,3 p.p. face ao registado no mês anterior.

A taxa de variação mensal registada pelo Índice de Termos de Troca (ITT) foi de – 0,2%, valor semelhante ao registado no mês anterior.

Em Julho de 2018, o índice de preço da importação situou-se em 101,5, tendo conhecido um aumento de 1,1% relativamente ao mês passado.

Por outro lado, os índices, subjacente e volátil, na importação, verificaram em Julho, acréscimos de 1,4% e de 0,4%, respectivamente, face ao mês de Junho.

A subida de preços na importação foi atenuada “bens intermédios” (-4,6%), enquanto a descida dos preços, nesta categoria, justifica-se, essencialmente, com a diminuição dos preços de “produtos transformados para a carpintaria” (-21,6%) e “outros produtos transformados” (-18,4%).

Por destino económico dos bens, as categorias que contribuíram para a subida de preços na importação foram “bens de consumo” (0,1%) e bens de capital” (7,3%).

Nas importações por principais secções, registaram-se aumentos mais expressivos de animais vivos e produtos do reino animal (2,6%), produtos minerais (2,9%), matérias têxteis e suas obras (7,7%) e material de transporte (5,8%).

Por sua vez, as diminuições de preços de maior relevância observaram-se nas secções de produtos do reino vegetal (-3,8%), produtos das indústrias alimentares, bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres, tabaco e seus sucedâneos manufacturados (-1,7%), metais comuns e suas obras (-7,0%) e máquinas e aparelhos, material eléctrico, e suas partes.

De acordo com o INE, essas diminuições contribuíram para atenuar a evolução positiva do Índice Global da Importação.

Em Julho de 2018, o índice de preço da importação aumentou 7,4%, relativamente ao mês de Julho de2017.

O índice subjacente na importação verificou, ainda no mês de Julho deste ano, acréscimo de 12,6% face ao mês de Julho do ano anterior. Por outro lado, o índice volátil na importação diminuiu 4,5% face ao mês de Julho de 2017.

Em relação às exportações, o índice de preço, em Julho de 2018, situou-se em 102,7, correspondendo a um acréscimo de 0,8% face ao mês anterior.

Os índices, subjacente e voláteis na exportação, verificaram em Julho de 2018, acréscimos de 0,4% e de 2,0%, respectivamente, face ao mês de Junho de 2018.

Ainda no mês de Julho deste ano, a taxa de variação homóloga do índice de preço das exportações situou-se em 3,2%.

Quanto ao índice subjacente na exportação verificou, em Julho de 2018, acréscimo de 7,4% face ao mês de Julho de 2017. Por outro lado, o índice volátil na exportação diminuiu 6,1% face ao mês de Julho de 2017.

Durante o período em análise registou-se uma ligeira deterioração nos índices de termos de troca, com uma diminuição global de 0,2%, comparativamente ao mês anterior.

Já em Julho de 2018, o Índice de Termos de Troca (ITT) situou-se em 101,2 com uma taxa de variação homóloga negativa de 4,0%.

Ler mais
Recomendadas

Ministério Público de Cabo Verde investiga 80 casos de possíveis casamentos por conveniência

Óscar Tavares confirmou que há denúncias sobre cabo-verdianos que têm casado com cidadãos de nacionalidade europeia para obtenção de vistos, que, em outubro passado, recebeu 73 participações do Centro Comum de Visto para investigar.

Estudantes de língua portuguesa no exterior pedem apoio da CPLP

A Federação dos Estudantes de Língua Portuguesa no Exterior pediu o apoio da CPLP na criação das condições para que os estudantes da comunidade “estudem com qualidade nos seus países de origem”, nomeadamente no ensino básico.

Nove empresas entram no capital do transporte marítimo de Cabo Verde

Um grupo de nove armadores (Cabo Verde Fast Ferry, Polaris, Adriano Lima, Verdemar, Santa Luzia Salvamento Marítimo, Jô Santos & David, União de Transportes Marítimos, Oceanomade e Aliseu) assumiu 49% do capital social da Inter-ilhas, que tem como sócio maioritário a portuguesa Transinsular.
Comentários