Como a cabo-verdiana Inês Silva criou uma fábrica de sabonetes que vai exportar para os EUA

Os produtos biológicos usam matérias-primas encontradas na própria ilha de Santo Antão, como leite de cabra, babosa (aloé vera), argila ou enxofre.

A fábrica de sabonetes com base em produtos naturais, aberta, há quase um ano, no Porto Novo, está a colocar no mercado nacional produtos cosméticos de “alta qualidade”, que estão em vias de chegar, também, a mercados internacionais.

Conforme a direção dessa unidade, que funciona na localidade da Ribeira das Patas, interior do Porto Novo, a aposta tem sido numa produção essencialmente biológica, com matérias-primas encontradas na própria ilha de Santo Antão, como leite de cabra, babosa (aloé vera), argila, enxofre, entre outros.

A fábrica de produção de sabonetes, instalada por Inês Silva, já consegue colocar os seus produtos, designadamente sabonetes líquidos e em barra para crianças, em algumas ilhas do arquipélago e já pensa em exportar para os Estados Unidos da América (EUA).

Esta empresária no ramo de cosmética que, nos últimos anos, já vinha desenvolvendo, no Porto Novo, uma experiência de produção de produtos cosméticos, decidiu abrir essa unidade que, avançou, pondera a possibilidade de exportar para os EUA.

Inês Silva, ex-emigrante nos EUA, apesar de ser natural da Brava, decidiu investir, nesta área, em Santo Antão, onde, explicou, encontrou “os produtos de terra” de que precisa para fabricar esse tipo de sabonetes em barra de várias dimensões e líquido, destinados, essencialmente, às crianças.

Graças a esta empresária, o município do Porto Novo e o seu congénere de Stonecrest, Geórgia (EUA), assinaram, em janeiro deste ano, um protocolo de cooperação nas áreas de desenvolvimento empresarial, modernização municipal, juventude, cultura e desporto.

Ler mais
Recomendadas

Comissão parlamentar cabo-verdiana visita imigrantes

A realização de encontros personalizados com imigrantes nos sítios onde trabalham marca o segundo dia da visita da Comissão Especializada Permanente da Assembleia Nacional à ilha do Fogo.

“Estou convencido de que Cabo Verde está preparado para uma Lei de Paridade”

Segundo o primeiro-ministro, a aprovação da proposta de lei no Parlamento, cuja meta é para a ‘luz verde’ é 2019, vai garantir o princípio de paridade nos órgãos colegiais eleitos para o sistema político cabo-verdiano.

Projeto de renováveis em Monte Trigo reforçado com 77 mil euros

Esta é a primeira aldeia de Cabo Verde abastecida a 100% com energia renovável.
Comentários