PremiumConcurso de transporte rodoviário vai arrancar em Lisboa com quatro concessões a sete anos

Caderno de encargos será conhecido na próxima terça-feira. Autocarros serão todos amarelos, com uma ‘brand’ única da Área Metropolitana de Lisboa, que quer estabelecer uma oferta anual de 90 milhões de veículos/quilómetro, mais 40% que agora.

O concurso público para atribuição do serviço de transporte rodoviário de passageiros a operadores privados na Área Metropolitana de Lisboa vai ser lançado na próxima terça-feira, 18 de fevereiro, e o Jornal Económico sabe que o processo será segmentado em quatro lotes, dois na margem norte do Tejo, dois na margem sul. O caderno de encargos vai limitar a possibilidade de o mesmo grupo privado garantir, em simultâneo, os lotes mais relevantes deste concurso.

O Jornal Económico apurou ainda que este concurso atribuirá estes lotes por um período de sete anos cada um. Os autocarros a operar nos quatro lotes definidos terão uma imagem única, uma brand da AML, utilizando unicamente a cor amarela, para melhor identificação pelos clientes. Prevê-se que o critério de escolha determinante seja o pagamento do valor por quilómetro percorrido, sendo os futuros operadores exclusivamente remunerados por essa prestação.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Vendas dos lojistas com quebras de 37% face a 2019. Em Lisboa, a redução é superior a 40%

Por sector de atividade, a restauração continua a ser o setor mais afetado, com a descida das vendas a registar 49,1%, o sector de retalho 34,3% e o sector de serviços 38,5%.

Sociedade do Luxemburgo quer comprar até 450 milhões de euros de dívida da dona do Minipreço

A sociedade do Luxemburgo é a DEA Finance, que é detida pela LetterOne. A mesma LetterOne que é a principal acionista da dona do Minipreço, com 69,76% do capital.

PSD diz que “começa a ser evidente” necessidade de uma comissão de inquérito ao Novo Banco

Em causa está mais um negócio ruinoso do Novo Banco para o Estado português, desta vez com a venda a preços de saldo de uma seguradora a um fundo detido por um milionário condenado por corrupção. Os social-democratas dizem que comissão de inquérito é essencial para se perceber como forma feitas as compras e vendas de ativos do banco.
Comentários