PremiumConcurso de transporte rodoviário vai arrancar em Lisboa com quatro concessões a sete anos

Caderno de encargos será conhecido na próxima terça-feira. Autocarros serão todos amarelos, com uma ‘brand’ única da Área Metropolitana de Lisboa, que quer estabelecer uma oferta anual de 90 milhões de veículos/quilómetro, mais 40% que agora.

O concurso público para atribuição do serviço de transporte rodoviário de passageiros a operadores privados na Área Metropolitana de Lisboa vai ser lançado na próxima terça-feira, 18 de fevereiro, e o Jornal Económico sabe que o processo será segmentado em quatro lotes, dois na margem norte do Tejo, dois na margem sul. O caderno de encargos vai limitar a possibilidade de o mesmo grupo privado garantir, em simultâneo, os lotes mais relevantes deste concurso.

O Jornal Económico apurou ainda que este concurso atribuirá estes lotes por um período de sete anos cada um. Os autocarros a operar nos quatro lotes definidos terão uma imagem única, uma brand da AML, utilizando unicamente a cor amarela, para melhor identificação pelos clientes. Prevê-se que o critério de escolha determinante seja o pagamento do valor por quilómetro percorrido, sendo os futuros operadores exclusivamente remunerados por essa prestação.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Novo Banco contrata investigadores privados para seguir Nuno Vasconcellos

O Novo Banco tomou esta decisão para recolher informação e material que possa ser utilização em eventuais ações judiciais de cobrança de dívias que a Ongoing deixou por pagar em Portugal
Supermercados

Vendas do Grupo DIA caíram 9% em 2019, mas há uma tendência de mudança em Portugal

O grupo retalhista presente no mercado nacional garante sinais de inflexão de queda na operação em Portugal, mas não revela números.

Coronavírus: Ligações da Easyjet a partir de Portugal para Itália não serão afetadas por enquanto

A easyJet diz que, por enquanto, os voos da companhia entre Portugal e Itália não estão afetadas e que está a acompanhar o evoluir da situação no norte de Itália, onde o Covid-19 já matou 14 pessoas e infetou pelo menos 400.
Comentários