Conduzir trotinetes sob o efeito do álcool? Lime quer evitar condução irresponsável

A nova funcionalidade “Drunk-Riding Prevention” (prevenção da condução sob o efeito do álcool), tem como principal objetivo evitar que condutores embriagados consigam desbloquear a viatura sem “dificuldades”.

A empresa de micromobilidade conhecida pelas trotinetes elétricas, anunciou hoje, quarta-feira, 14 de agosto, uma nova funcionalidade que será implementada na sua aplicação de desbloqueio das pequenas viaturas, com o objetivo de alertar condutores embriagados para o perigo que podem representar, antes de iniciarem o seu percurso.

A nova funcionalidade “Drunk-Riding Prevention” (prevenção da condução sob o efeito do álcool), tem como principal objetivo evitar que condutores embriagados consigam desbloquear a viatura sem “dificuldades”.

Num horário entre as 22 horas e as 2 horas, qualquer pessoa que queira usar uma trotinete elétrica da Lime, terá de responder a um tutorial onde se abordam questões relativas à condução sob o efeito do álcool, que depois será complementado com lembretes alusivos à condução perigosa, durante a viagem.

A Lime compromete-se assim a cumprir com a legislação municipal, defendendo-se das críticas que tem sido alvo por parte das autarquias e da população, no que diz respeito à condução das suas viaturas de formas irresponsáveis e sem consequências.

Recomendadas

“Ainda há preconceito contra as mulheres que lideram empresas”

Na atividade profissional de ‘coaching’, Mafalda Almeida promove sobretudo a autoconfiança e a autoestima das mulheres. Mas, para além das barreiras psicológicas, acrescem vários obstáculos externos como o preconceito e a desigualdade salarial.

Quercus diz que Portugal não consegue cumprir neutralidade carbónica com exploração de lítio

Relatório sobre o impacte de emissões de CO2 da mineração de lítio em Portugal, que será apresentado na segunda-feira, aponta que, se o Governo avançar com a campanha de exploração de lítio, “Portugal não vai conseguir cumprir a neutralidade carbónica”, revela responsável da Quercus.

Mais de 60 concelhos de 11 distritos em risco máximo de incêndio

Bragança, Faro e Guarda são os distritos mais problemáticos, pois têm praticamente todo o território em risco máximo de incêndio.
Comentários