Consegue adivinhar qual é o livro preferido de Donald Trump?

O presidente recém-empossado dos EUA confessa não ter muito tempo para ler, mas garante que gosta de o fazer.

“Não permitam que estas breves passagens vos impeçam de saborear em profundidade os conselhos que se seguem”. Quem o diz é Donald Trump, ou melhor, escreve. Para além de empresário multimilionário, político controverso e cara conhecida de uma infinidade de programas de televisão, o presidente eleito, ainda antes de pensar em candidatar-se ao cargo, dedicava-se aos livros. Tanto à leitura como à escrita.

Sim, porque o novo presidente dos EUA escreve e não apenas discursos. Donald Trump é autor de duas dezenas de livros sobre os mais variados temas (memórias, autoajuda na gestão de negócios e de pendor político). Alguns deles bestsellers. A (auto) biografia The Art of the Deal, escrita pelo presidente e pelo jornalista Tony Schwartz, é um exemplo disso. Embora não seja, como Trump alega, o livro de negócios de maior sucesso no mundo, vendeu mais de um milhão de cópias.

“Eu gosto de um monte de livros. Gosto verdadeiramente de ler. Agora não tenho muito tempo para o fazer. Leio passagens… capítulos”, afirma Donald Trump.

Quando questionado sobre qual seria o seu livro preferido, durante um comício com membros do partido republicano, Donald Trump foi perentório na resposta. Para além da sua própria biografia, The Art of the Deal, o livro preferido do magnata nova-iorquino é “a Bíblia”.

“Nada supera a Bíblia, nem mesmo o The Art of the Deal. Nem de perto”, afirma Donald Trump, com o polegar levantado. “Já o The Art of the Deal, esse é o meu segundo livro preferido ao longo de todos os tempos”.

Por isso, se na sua estante ainda não tem nenhum destes exemplares, fica a sugestão. Quem sabe não foi a inspiração divina e o domínio de gestão nos negócios que levaram Donald Trump a tornar-se um dos homens mais poderosos do mundo?

Recomendadas

Cabo Verde: Maioria aprova Orçamento e oposição admite ceder sem aumento de impostos

O parlamento cabo-verdiano aprovou a proposta de Orçamento do Estado para 2022, apenas com os votos do MpD, mas com o PAICV, na oposição, a admitir uma subida do endividamento caso o aumento de impostos não avance.

Angola: Tribunal mantém prisão para José Filomeno dos Santos

O plenário do Tribunal Supremo manteve a sentença de julgamento de José Filomeno dos Santos, ex-presidente do Fundo Soberano de Angola, condenado a cinco anos de prisão.

Campanha das eleições locais na Argélia marcada pelo boicote da oposição

Os argelinos são chamados sábado às urnas para elegerem os membros das assembleias populares comunais (APC) e das assembleias populares das wilayas (APW, departamentais).
Comentários