Conservadores vencem na Lituânia

Tal como era esperado, a segunda volta das eleições para o parlamento lituano confirmou a ascensão dos conservadores. Uma ex-ministra das Finanças, Ingrida Simonyte, pode vir a ser a próxima chefe do governo.

eleições_legislativas_voto_urna_votar
Mário Cruz/Lusa

Na Lituânia, a segunda volta das eleição para o parlamento, o Seimas – realizada este domingo –a oposição conservadora concentrada na União Nacional-Democratas Cristãos da Lituânia (TS-LKD) venceu as eleições, adiantam os jornais do país.

A vitória já era esperada, depois de o partido ter obtido a maioria da primeira volta., realizada há duas semanas: o partido conservador, que obteve 25% dos votos nessa primeira volta, obteve 49 dos 141 assentos no parlamento. Em segundo lugar está o Sindicato de Agricultores e Verdes do primeiro-ministro Saulius Skvernelis, que recebeu 17% na primeira volta e conseguiu apenas 32 lugares.

Quatro outros partidos políticos ultrapassaram a barreira de 5%, limite mínimo para entrarem no parlamento.

Segundo as mesmas fontes, a ex-ministra das Finanças conservadora Ingrida Simonyte poderá vir a ser a próxima primeira-ministra. Simonytė prometeu acelerar a modernização da economia e desistir do atual modelo alavancado na mão-de-obra barata para uma produção de maior valor acrescentado.

Um ‘truque’ de última hora do partido no poder parece não ter resultado: a possibilidade de pagamento de um 13º mês ao exército e aos reformados. Tanto o primeiro-ministro Saulius Skvernelis como Ramunas Karbauskis, líder da União de Agricultores e Verdes da Lituânia (LFGU, apoiante do governo), são a favor da ideia.

“A situação económica permite ajudar quem mais precisa de ajuda, quem trabalhou ao longo da vida e pagou impostos”, disse uma deputada da aliança do governo. Mas a medida não é universalmente aceite.

Ler mais
Recomendadas

Congresso dos Estados Unidos ainda tem cinco incógnitas um mês depois das eleições

Dois lugares no Senado serão decididos numa segunda volta, marcada para 5 de janeiro, enquanto a Câmara dos Representantes aguarda por um duelo entre dois republicanos e pelas batalhas judiciais que devem ser travadas por dois candidatos democratas que ficaram a um punhado de votos das vencedoras. Elevado número de boletins enviados pelo correio atrasou escrutínio sobretudo nos estados da Califórnia e de Nova Iorque.

Covid-19: França registou 313 mortes num dia

O número de novos casos diários no país foi de 14.064 nas últimas 24 horas, uma subida face aos números dos dois dias anteriores, tendo sido já confirmados 2.244.635 casos de covid-19 em França desde o início da pandemia.

“Donald Trump quer um acordo para não ser acusado”, diz ex-porta-voz Scaramucci

Num painel da Web Summit, o ex-porta-voz que se tornou crítico disse que Donald Trump quer causar “tanto estrago quanto humanamente possível” para conseguir um acordo de imunidade. Estrategas dos dois lados do espectro político disseram que a reação Trump aos resultados tem causado distração desnecessária.
Comentários