PremiumConsumidores estão a mudar a produção

Cerealis, Grupo Primor, Novarroz e Tété faturam em conjunto cerca de 380 milhões de euros por ano e têm uma presença diversificada em mercados externos. Mas o segredo do negócio passa pela inovação.

As novas tendências globais de consumo na alimentação estão a obrigar as empresas nacionais do setor agroalimentar a apostar cada vez mais recursos humanos e financeiros na inovação. O Jornal Económico foi auscultar quatro empresas portuguesas da fileira agroalimentar para perceber as grandes novidades na calha, desde novas embalagens a novos produtos que estão prestes a chegar às nossas mesas.

Todas estas empresas beneficiam de um programa promovido pela PortugalFoods, o prémio ‘Ecotrophelia’, que já vai para a quarta edição em Portugal, em 2020. Trata-se de uma iniciativa que promove a eco-inovação, o empreendedorismo e a competitividade do setor agroalimentar, desafiando estudantes do ensino superior a desenvolverem produtos alimentares ‘fora da caixa’.

Artigo publicado na edição semanal de 2 de agosto, de 2019, do Jornal Económico. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Recomendadas

Aicep tem em pipeline novos investimentos de 1,01 mil milhões de euros

Novos projetos de investimento previstos para 2020 devem criar mais de 2100 empregos. O presidente da Aicep, Luís Castro Henriques mantém o optimismo na evolução da economia portuguesa

Elisa Ferreira: “Europa tem de começar a pensar seriamente em reforçar o orçamento com recursos próprios”

A comissária europeia para a Coesão e Reformas lamentou a proposta da Finlândia de alocar 1,07% do rendimento nacional bruto dos Estados-membros ao orçamento comunitário e admite que seria preciso ter ido “mais longe” mesmo na sugestão da Comissão, que é de 1,11%.

Dívida pública do Brasil cresce 9,5% em 2019 e bate recorde de 920 mil milhões de euros

O valor representa um aumento de 9,5% em relação a 2018, quando a dívida foi de 3,877 biliões de reais (840 mil milhões de euros).
Comentários