Contas do PSD congeladas por causa de dívida de mais de seis mil euros a serralheiro

Em causa está um episódio que remonta às eleições autárquicas de 2017, quando o PSD requereu serviços a um serralheiro para montar estruturas para cartazes em São Pedro do Sul, distrito de Viseu. O partido não pagou a totalidade da conta porque queria que fossem os responsáveis locaais a assumirem os custos.

PSD

As contas do PSD estão congeladas porque ainda não foram pagos serviços realizados por um serralheiro há cerca de três anos, dá conta o “Jornal de Notícias” esta sexta-feira, 28 de fevereiro. Está em causa uma dívida de 6.670 euros referente a serviços de construção de estruturas metálicas para cartazes para as eleições autárquicas no distrito de Viseu.

Os sociais democratas não pagaram os quase sete mil euros devidos, visto que o partido queria que fosse o candidato e o mandatário financeiro local a assumirem os custos dos serviços do serralheiro. Contudo, o Tribunal da Relação de Coimbra considerou que teria de ser o PSD a assumir as despesas, uma vez que os responsáveis locais agiram com poderes de representação do partido.

A Relação de Coimbra determinou, assim, que o PSD deveria pagar os 6.670 euros ao serralheiro, mas até ao momento a dívida está por saldar. Consequentemente, as contas do PSD estão atualmente congeladas.

A história remonta a 2017, durante as eleições autárquicas, quando o PSD requereu serviços a um serralheiro para a campanha em São Pedro do Sul, distrito de Viseu. Contas feitas, segundo o JN, o serralheiro cobrou um total de 11.207 euros, mas o PSD apenas pagou 3.537 euros.

Recomendadas

PS e PSD chumbam divulgação de dados sobre a Covid-19 para estudo da comunidade científica

No projeto de resolução, chumbado na Assembleia da República, o Iniciativa Liberal recomendava ao Governo a que recolhesse e disponibilizasse à comunidade científica portuguesa os dados epidemiológicos da Covid-19 para que os cientistas portugueses possam estudar a doença.

Covid-19: Parlamento trava cortes de água, luz, gás e telecomunicações

O Parlamento aprovou hoje em votação final global propostas do BE e PCP que suspendem os cortes do fornecimento de água, luz, gás e telecomunicações a famílias com quebra de rendimentos devido à pandemia de covid-19.

Parlamento chumba regime de preços máximos para gasolina e gasóleo durante a crise da Covid-19

Os comunistas alertavam, no projeto de lei, que os preços da gasolina e do gasóleo não estarem a acompanhar a queda do preço do Crude Oil Brent, que serve de referência para Portugal e pediam ao Governo que tome medidas para acabar com a “lógica absurda” das grandes empresas do setor.
Comentários