‘Contrato social’

Com os confinamentos, as autoridades parecem pretender disfarçar a sua incapacidade em prepararem a “segunda vaga”.

Os mercados financeiros estão novamente pessimistas face à economia. A evolução da pandemia provocou uma reação em cadeia do poder local aos governos nacionais, que voltaram a impor confinamentos.

Para além da evolução da Covid-19 e do impacto imediato das medidas, há analistas que estão preocupados com outros dois aspetos.

Em primeiro lugar, os governos parecem ter pouco controlo sobre a situação e vão improvisando, em vez de terem uma estratégia. Isto percebe-se mal, dado que já passaram oito meses desde o início da crise de saúde pública. Com os confinamentos, as autoridades parecem pretender disfarçar a sua incapacidade em prepararem a “segunda vaga”.

Por outro lado, percebe-se que terminou o “estado de graça” entre governos e populações. Se os meses de março e abril foram marcados por um esforço comum, com o objetivo de “achatar a curva”, agora já se vão observando divisões e protestos um pouco por todo o lado.

As discricionariedades na atuação dos governos ao longo dos últimos meses (com vários exemplos gritantes em Portugal), a falta de transparência, as decisões com premissas ideológicas e a falta de aproveitamento do tempo em que efetivamente se “achatou a curva” para organizar e fortalecer a capacidade de resposta, fazem com que a população esteja dividida e menos tolerante.

As pessoas cumpriram a sua parte deste ‘contrato social’, mas os governos nem por isso. Assim, oito meses depois, parecemos ter voltado à “estaca zero” e as bolsas para lá caminham.

Recomendadas

Wall Street fecha semana no verde com perspetiva de estímulo à economia a sobrepor-se à fraca criação de emprego

Apesar dos fracos números da criação de emprego em novembro, os mercados animaram-se com as declarações de Nancy Pelosi sobre um possível acordo bipartidário para um pacote de estímulos à economia americana, isto depois do líder do Senado ter admitido o mesmo na quinta-feira.

Bolsa de Lisboa fecha em alta numa sessão animada em toda a Europa

Galp dispara mais de 5% com subida do preço do petróleo, após o anúncio de um acordo da OPEP+ em suavizar os aumentos previstos de produção de crude. O BCP fechou em alta de mais de 2% e já está acima dos 12 cêntimos.

Vencedor de concurso da Católica Porto Investment Club alerta que CBDC são “questão de segurança nacional”

Nuno Loureiro, vencedor do concurso Champion Chip 2020, organizado pela Católica Porto Investment Club, alerta que a infraestrutura tecnológica que suporta moedas digitais emitidas por um banco central (CBDC) poderão ser alvo de ataques cibernéticos de outros Estados.
Comentários