COP25: Cordão humano pelo clima formado em Bruxelas

Cerca de 2.400 pessoas fizeram hoje um cordão humano no centro de Bruxelas para chamar a atenção para a emergência climática no planeta.

O protesto aconteceu em Bruxelas por ocasião da cimeira do clima da Organização das Nações Unidas (COP25), que decorre em Madrid até ao dia 13, e foi organizado pelos movimentos belgas Climate Express e Coalition Climat.

Os manifestantes apelaram aos líderes políticos para que tomem medidas à altura da urgência climática e lamentaram que a Bélgica não vá conseguir cumprir os objetivos climáticos para 2020.

Em declarações à agência Belga, o presidente da Coalition Climat, Nicolas Van Nuffel, afirmou que as medidas da Bélgica anunciadas para 2030 são insuficientes e que o país “não tem uma posição clara sobre a neutralidade carbónica para 2050.

A Cimeira sobre Alterações Climáticas de Madrid começou no dia 02 e termina no dia 13.

Esta ‘cimeira do clima’ estava inicialmente prevista para se realizar no Chile, mas no final de outubro o governo chileno decidiu cancelar o evento alegando não haver condições devido a um movimento de contestação interna e de agitação civil.

O governo espanhol avançou com a proposta de organizar a grande conferência anual sobre Alterações Climáticas, apesar de a presidência da reunião continuar a pertencer ao Chile.

Segundo os objetivos definidos pela comunidade científica e em acordos assinados, mas ainda não ratificados por todos os países do mundo, nomeadamente os Estados Unidos, um dos mais poluidores, é necessário limitar a menos de 1,5 graus o aumento da temperatura global até ao fim do século.

Ler mais
Recomendadas

Empreendedores australianos são quem mais teme que alterações climáticas prejudiquem as suas empresas

Os incêndios florestais que devastam parte da Austrália já representam uma fatura próxima dos 630 milhões de euros para o setor segurador. Preocupação pelas alterações climáticas é 48% mais elevada que a média global.

Greta Thunberg em Davos: “Ciência e voz dos jovens precisam de ser o centro da conversa”

A ativista participa no Fórum Económico Mundial que decorre entre os dias 21 e 24 de janeiro na cidade de Davos, na Suíça: “Eu não sou uma pessoa que pode reclamar por não ter sido ouvida”, admitiu a jovem sueca.

Um dos mais potentes gases com efeito de estufa está a aumentar na atmosfera, alertam cientistas

Os cientistas esperavam uma queda nos níveis de HFC-23 depois da Índia e a China se terem comprometido a interromper as emissões até 2017. Uma tonelada deste gás emitido para a atmosfera é equivalente a 12 mil toneladas de dióxido de carbono.
Comentários