Coronavírus: China prolonga feriado do Ano Novo Lunar para reduzir viagens e conter surto

A China prolongou por três dias o feriado do Ano Novo Lunar, até 02 de fevereiro, para desencorajar viagens e tentar conter a propagação do coronavírus que causou 80 mortes e infetou 2.744 pessoas.

Adi Constantin on Unsplash

Cerca de 769 novos casos foram confirmados no domingo e mais de 30.000 pessoas que tiveram contacto com possíveis pessoas infetadas estavam sob observação médica, informou a Comissão Nacional de Saúde da China.

Dezenas de milhões de chineses que visitaram as suas cidades natal ou pontos turísticos deveriam regressar a casa esta semana no maior movimento de pessoas a nível mundial que se repete todos os anos, aumentando o risco de o vírus se espalhar em comboios e aviões lotados.

Em Portugal, não se confirmou a infeção de um homem que apresentava suspeitas e que foi hospitalizado no sábado, em Lisboa, depois de regressar de Wuhan.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros português desaconselhou “viagens não essenciais” à China, devido ao novo coronavírus, justificando o alerta pelos eventuais riscos de saúde e pelas presentes limitações na circulação dentro do país.

O Governo português indicou ainda à agência Lusa que foram identificados 20 portugueses que são residentes em Wuhan ou que se encontram em visita e está a estudar a possibilidade de os retirar daquela cidade, “se isso for viável à luz das regras de saúde pública”.

Já a França está a organizar “um repatriamento por rota aérea direta” dos seus nacionais localizados na região de Wuhan, anunciou o ministro da Saúde, Agnès Buzyn, sob a supervisão de uma “equipa médica dedicada”, com as pessoas a ficarem “num espaço de acolhimento durante 14 dias”, o período máximo estimado de incubação.

O diretor-geral da Organização Mundial de Saúde é esperado hoje em Pequim para se reunir com as autoridades chinesas.

O novo coronavírus foi detetado na cidade chinesa de Wuhan no final de 2019 e o anterior balanço apontava para 56 mortos na China.

A maioria das pessoas infetadas encontram-se no território continental da China, mas há também casos confirmados em Macau, Hong Kong, Taiwan, Tailândia, Japão, Coreia do Sul, Estados Unidos, Singapura, Vietname, Nepal, Malásia, França, Austrália e Canadá.

Ler mais
Relacionadas

Coronavírus: Balanço na China sobe para 80 mortos e mais de 2.300 casos

O número de mortos devido ao novo coronavírus detetado na China aumentou hoje para 80, após 24 novos óbitos registados na província de Hubei, o epicentro do contágio, anunciaram as autoridades locais.
Recomendadas

Covid-19: Unicef lança maior pedido de fundos da sua história

A Unicef fez o maior pedido de fundos da sua história, ao solicitar 6.400 milhões de dólares (5.292 milhões de euros) para, em 2021, poder chegar a 190 milhões de crianças.
Valéry Giscard d'Estaing

França decreta dia de luto pela morte de Giscard d’Estaing

O Presidente da República francesa, Emmanuel Macron, relembrou o seu antecessor Valéry Giscard d’Estaing anunciando que dia 9 de dezembro será dia de luto nacional pelo antigo chefe de Estado.

UE/Presidência: Lisboa recebe conferência sobre planos de recuperação em abril

O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, anunciou hoje que Lisboa receberá, em abril, no âmbito da presidência portuguesa da União Europeia (UE), uma cimeira acerca da execução dos planos de recuperação dos países do bloco.
Comentários