Costa diz que a lei do Estado de Emergência permite ao PCP realizar o seu congresso

“Mesmo que o Governo quisesse, mesmo que a Assembleia da República quisesse, mesmo que o Presidente da República quisesse, nenhum de nos podia” proibir o congresso do PCP em Loures devido à lei em vigor, explicou hoje o primeiro-ministro.

Twitter

O primeiro-ministro disse hoje que nem o Governo, nem o Parlamento, nem o Presidente da República têm poderes para proibir o congresso do Partido Comunista Português (PCP) que se vai realizar no próximo fim de semana em pleno Estado de Emergência (EdE), com o encontro dos comunistas a ser protegido pela lei que vigora desde 1986.

O XXI congresso do PCP vai realizar-se nos dias 27, 28 e 29 de novembro no Pavilhão Paz e Amizade em Loures, distrito de Lisboa e são esperados 600 participantes, menos 50% face ao congresso realizado em 2016.

“A lei do EdE é de 30 de setembro de 1986, uma lei muita antiga e que se manteve inalterada. Essa lei diz expressamente o seguinte: as reuniões dos órgãos estatutários dos partidos políticos, sindicatos e associações profissionais não serão em caso algum proibidas, dissolvidas ou submetidas a autorização prévia”, afirmou o primeiro-ministro quando questionado sobre o tema durante o briefing do conselho de ministros.

“O que é que isto significa? Significa, primeiro, o Governo só pode regulamentar o decreto do Presidente da República. E o Presidente da República só pode proibir no seu decreto o que é autorizado pela Assembleia da República e o que é permitido pela lei do Estado de Emergência”, destacou António Costa.

“Mesmo que o Governo quisesse, mesmo que a Assembleia da República quisesse, mesmo que o Presidente da República quisesse, nenhum de nos podia fazer nos termos da lei que esta em vigor desde 1986. É assim que está na lei. Eu insisto: o EdE permite a restrição na medida do estritamente necessário, proporcional e que é adequado a restrição de certas liberdades e garantias, mas só nos termos que a Constituição e a lei o permite”, respondeu o primeiro-ministro.

“Nem sequer um tribunal pode decidir de forma diferente porque a lei é clara e taxativa. Creio que é daqueles raros casos onde não é possível utilizar aquele aforismo de ‘onde há dois juristas, há duas opiniões’, neste caso podemos juntar o número de juristas que quisermos que esta lei é de uma tal clareza ao dizer que em caso algum pode haver proibições ou autorização prévia”, reforçou António Costa, apontando que as regras sanitárias da DGS têm de ser cumpridas durante o evento.

Loures é um dos concelhos com risco mais elevado em Portugal e segundo as regras aprovadas hoje pelo Governo, os delegados ao congresso do PCP vão ser alvo de uma dupla exceção face às restrições previstas para esse fim de semana nesse concelho: vão poder circular depois das 13 horas ao fim de semana, e vão poder deslocar-se entre concelhos, algo que também vai ser proibido no respetivo fim de semana.

 

Ler mais

Relacionadas

Empresas vão poder pagar IVA e Segurança Social até seis prestações sem juros. Rendas da restauração e comércio vão ser apoiadas

Na próxima semana, vão também ser anunciadas medidas de apoio às rendas comerciais para garantir um apoio suplementar a todos os setores, particularmente da restauração e do comércio que estão a ser “fortemente atingidos por esta crise”, disse o primeiro-ministro. A possibilidade de pagamento em prestações refere-se ao IVA de novembro, e às contribuições para a Segurança Social referentes a novembro e dezembro.

30 de novembro e 7 de dezembro: escolas fechadas, função pública não trabalha e Governo pede a empresas para dispensarem trabalhadores

O primeiro-ministro também anunciou hoje que o país vai passar a estar divido em quatro escalas consoante o nível de novos casos que apresentar.

Proibição de circulação e estabelecimentos encerrados a partir das 13 horas mantém-se ao fim de semana e é alargada aos feriados de dezembro

Esta restrição vai manter-se durante o próximo Estado de Emergência de 24 de novembro a 8 de dezembro para os concelhos de risco muito elevado no país que neste momento são 127.

Governo vai proibir circulação entre concelhos nos feriados de 1 e 8 de dezembro

O primeiro-ministro anunciou hoje quais as medidas que vão vigorar entre 24 de novembro e 8 de dezembro durante o Estado de Emergência.

Máscara passa a ser obrigatória no local de trabalho

António Costa anunciou hoje quais as medidas que vão vigorar entre 24 de novembro e 8 de dezembro durante a renovação do Estado de Emergência.
Recomendadas

Topo da agenda: o que vai marcar a atualidade esta quinta-feira

A proposta foi aprovada na generalidade, a 28 de outubro, com os votos favoráveis do PS e as abstenções do PCP, PAN, PEV e das deputadas Joacine Katar Moreira e Cristina Rodrigues.

OE2021: Aprovada proposta para pagamento em prestações de IVA e IRC até 15 mil euros

A medida aplica-se apenas a tributos cujo valor no momento do requerimento e a pagar em prestações seja inferior a 15.000 euros.

Aprovada proposta que remete concurso do ‘IVAucher’ para fiscalização à posteriori do TdC

Em causa está um mecanismo, apelidado de ‘IVAucher’, que permite ao consumidor final acumular o valor correspondente à totalidade do IVA suportado em consumos nos setores do alojamento, cultura e restauração, durante um período (12 semanas) e utilizar esse valor, durante as 12 semanas seguintes, em consumos nesses mesmos setores.
Comentários