Costa diz que recompra da TAP é “questão de proteção da soberania nacional”

Num discurso proferido no debate quinzenal, António Costa rejeitou as críticas do Tribunal Constitucional e garantiu que a reversão da privatização da TAP não foi “uma questão ideológica” para agradar à esquerda.

O primeiro-ministro, António Costa, afirmou esta quinta-feira que a atribuição de prémios por parte da Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) em ano de prejuízo é “incompatível com os padrões de sobriedade que devem existir”. António Costa rejeita as críticas do Tribunal Constitucional e garante que a reversão da privatização da TAP é uma “questão de proteção da soberania nacional”.

“[A atribuição de 1,171 milhões de euros em bónus em ano de prejuízos] é incompatível com os padrões de sobriedade que devem existir nas empresas em que o Estado participa”, afirmou o primeiro-ministro, no debate quinzenal desta quinta-feira – o primeiro após a interrupção devido às eleições europeias, lembrando que o Conselho de Administração da TAP convocou uma reunião extraordinária para analisar a situação.

Em causa está a atribuição de 1,171 milhões de euros em bónus a 180 trabalhadores, entre eles dois quadros de topo, junto com os salários de maio, como forma de premiar o trabalho desenvolvido. Isto numa altura em que os prejuízos da transportadora aérea atingiram 118 milhões de euros.

Acusado pelo líder parlamentar do Partido Social Democrata (PSD), Fernando Negrão, de ter revertido a privatização da TAP para agradar os partidos mais à esquerda, António Costa garantiu que não se tratou de uma questão ideológica, mas de “uma questão de proteção da soberania nacional”.

“Aqui [na recompra da TAP] não foi uma questão ideológica. Foi mesmo uma questão de proteção da nossa soberania nacional. Um país com a nossa localização geográfica e com a descontinuidade nacional, com a dispersão da sua dispora, não pode deixar de garantir que haja o que houver com os privados que são seus acionistas, manteremos e sobreviveremos como companhia”, afirmou o primeiro-ministro.

Quanto às críticas do Tribunal de Contas face à recompra da TAP, o líder do Executivo socialista afirmou que não discute opções políticas com o tribunal e que obedece ao princípio da separação de poderes.

“Eu não discuto com o Tribunal de Contas política, como não discuto com o Tribunal de Contas questões judiciárias”, afirmou. “Em respeito a separação de poderes e exijo que a respeitem. Era só o que me faltava admitir que o Tribunal de Contas se permitisse discutir, com quem tem a legitimidade democrática para governar, opções políticas com o Tribunal de Contas. Essa não é a função do Tribunal de Contas e essa é uma violação da separação de poderes”, referiu.

Ler mais
Relacionadas

Governo critica prémios na TAP. Houve “quebra de confiança” na comissão executiva que “agiu em desrespeito”

A tutela de Pedro Nuno Santos critica severamente a atribuição dos prémios “em ano de prejuízos”. “Este procedimento por parte da Comissão Executiva da TAP constitui uma quebra da relação de confiança entre a Comissão Executiva e o maior acionista da TAP, o Estado português”, acusa o Governo.
TAP Portugal

TAP justifica prémios com programa de mérito assente na “avaliação objetiva”

A TAP enviou um comunicado aos trabalhadores da companhia aérea, a explicar que “implementou, em 2017, um programa de mérito assente na avaliação objetiva dos resultados da empresa, das áreas e individuais”. O comunicado, a que o JE teve acesso, diz que “este programa está alinhado com as melhores práticas globais da promoção e reconhecimento da meritocracia e tem como objetivo promover uma cultura de entrega de resultados, sejam estes resultados operacionais, económicos ou financeiros”.

TAP: “Prémios poderiam ser maiores se TAP tivesse gerado lucro em 2018”

Segundo o presidente da TAP, foi o comité de moderação que definiu os critérios e atribuiu os prémios com base “nas melhores práticas de promoção e reconhecimento” que existem atualmente.
TAP Portugal

TAP pagou 1,171 milhões de euros em prémios a 180 trabalhadores

Em causa estão prémios que foram pagos com o salário de maio destes colaboradores e que oscilam entre os 110 mil e pouco mais de mil euros.
Recomendadas

PSD e PS chumbam moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações

Além de ter sido chumbada a possibilidade de criar moratórias nos pagamentos dos serviços de telecomunicações, o PCP viu PS, PSD, CDS-PP e PAN travar a proposta de implementar “medidas de salvaguarda”, o que impediria as operadoras de cortar serviços durante o Estado de Emergência.

Covid-19: Airbus anuncia redução de um terço na produção de aviões

O construtor europeu de aviões Airbus anunciou esta quarta-feira que vai fazer uma redução de um terço no ritmo de produção, adaptando as suas capacidades à evolução do mercado mundial de aeronáutica face à pandemia de covid-19.

Chineses desistem de comprar o BNI Europa

O contexto de incerteza na economia global causada pela pandemia da Covid-19 levou o Grupo chinês KWG a desistir de comprar 80,1% da participação do BNI Europa. Negócio estava alinhavado desde dezembro de 2017.
Comentários