Costa estima aumento de 40% do investimento público em 2018

António Costa avançou com este indicador sobre o investimento público na cerimónia de lançamento do concurso aberto pelo Metropolitano de Lisboa para a renovação do sistema de sinalização e para a aquisição de 14 novas unidades triplas de material circulante – investimento avaliado em 127 milhões de euros.

O primeiro-ministro afirmou hoje que Portugal caminha para registar um aumento do investimento público na ordem dos 40% em 2018, indicador que considerou ser resultado de uma política de consolidação orçamental “saudável” iniciada em 2016.

António Costa avançou com este indicador sobre o investimento público na cerimónia de lançamento do concurso aberto pelo Metropolitano de Lisboa para a renovação do sistema de sinalização e para a aquisição de 14 novas unidades triplas de material circulante – investimento avaliado em 127 milhões de euros.

Depois de defender a tese de que o metro de Lisboa e a Carris “estão agora melhor”, o primeiro-ministro atribuiu essa mudança a uma inversão da política macroeconómica seguida pelo seu executivo.

António Costa sustentou que foi seguida uma consolidação orçamental “saudável e sustentada”, tendo por base fatores como a confiança, o crescimento económico e o aumento da criação de emprego, o que permitiu a Portugal “poupar 1400 milhões de euros no serviço da dívida que tinha para pagar”.

“A saída do Procedimento por Défice Excessivo [na União Europeia], a reclassificação da dívida portuguesa pelas agências de notação e a redução dos juros pagos pela dívida pública criaram uma margem que permite a Portugal aumentar o investimento público. No ano passado, o investimento público aumentou 25% e este ano caminhamos para que possa aumentar 40%”, referiu o líder do executivo, num discurso que se seguiu aos do ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, do presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, e do presidente do Conselho de Administração do Metropolitano de Lisboa, Vítor Domingos dos Santos.

Recomendadas

Produção no setor da construção cresce em maio na zona euro

Hungria e Roménia lideram as maiores subidas em termos homólogos. Em Portugal, a produção no setor da construção aumentou 3,7% na variação homóloga.

Preços na produção industrial diminuíram 0,2% no segundo trimestre

No segundo trimestre de 2019, a taxa de variação homóloga deste índice situou-se em 0,9%, com uma variação de 1,1% no primeiro trimestre.

Défice da balança de bens agravou-se para 1.901 milhões de euros

O saldo conjunto das balanças corrente e de capital foi negativo em 2.614 milhões de euros até maio, agravando-se face aos 1.303 milhões de euros negativos do mesmo período de 2018, divulgou hoje o Banco de Portugal.
Comentários