Costa quer 170 mil fogos apoiados e redução das despesas familiares com habitação

No debate quinzenal no Parlamento, o primeiro-ministro frisou que quer reduzir a taxa de esforço das famílias com despesas de habitação de 35% para 27%.

O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo quer reduzir a taxa de esforço das famílias com despesas de habitação de 35% para 27% e aumentar o peso da habitação com apoio público a mais 170 mil fogos.

Estes objetivos foram transmitidos por António Costa na intervenção que abriu o debate quinzenal na Assembleia da República – um discurso cuja segunda parte foi dedicado ao tema da habitação.

Referindo-se aos principais objetivos dos diplomas hoje aprovados em Conselho de Ministros, o líder do executivo disse que pretende num prazo de oito anos aproximar Portugal das tendências europeias nesta área, alcançando, principalmente, “duas metas: Reduzir a taxa de esforço das famílias com as despesas de habitação de 35% para 27% e aumentar o peso da habitação com apoio público na globalidade do parque habitacional de 2% para 5%, o que representa um acréscimo de cerca de 170 mil fogos”.

Recomendadas

Diplomas para a legalização da canábis chumbados no Parlamento

Os diplomas de Bloco de Esquerda e PAN para a legalização da canábis para uso recreativo, foram ontem debatidos em Parlamento mas foram chumbados. PSD, PCP e CDS-PP votaram contra, enquanto que o PS defendeu votos mistos.

Rui Rio: “Isto não pode ser a política do bota abaixo permanentemente”

O presidente do PSD diz que a sua liderança saiu reforçada e pede “tranquilidade” para liderar o partido e que não “haja permanente ruído”.

Governo vai avaliar riscos de corrupção nos decretos-lei

“Não podemos ignorar os resultados dos múltiplos estudos de distintas entidades que invariavelmente apontam para estarmos longe de obtermos vencimento na luta contra a corrupção”, justificou o secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros.
Comentários