Costa quer 170 mil fogos apoiados e redução das despesas familiares com habitação

No debate quinzenal no Parlamento, o primeiro-ministro frisou que quer reduzir a taxa de esforço das famílias com despesas de habitação de 35% para 27%.

O primeiro-ministro afirmou hoje que o Governo quer reduzir a taxa de esforço das famílias com despesas de habitação de 35% para 27% e aumentar o peso da habitação com apoio público a mais 170 mil fogos.

Estes objetivos foram transmitidos por António Costa na intervenção que abriu o debate quinzenal na Assembleia da República – um discurso cuja segunda parte foi dedicado ao tema da habitação.

Referindo-se aos principais objetivos dos diplomas hoje aprovados em Conselho de Ministros, o líder do executivo disse que pretende num prazo de oito anos aproximar Portugal das tendências europeias nesta área, alcançando, principalmente, “duas metas: Reduzir a taxa de esforço das famílias com as despesas de habitação de 35% para 27% e aumentar o peso da habitação com apoio público na globalidade do parque habitacional de 2% para 5%, o que representa um acréscimo de cerca de 170 mil fogos”.

Recomendadas

António Costa sobre OE2019: “Reduz défice, dívida e aumenta investimento público”

Primeiro-ministro apresentou o OE2019 aos deputados socialistas e não poupou elogios ao documento: “este Orçamento melhora a vida dos portugueses”.

Mais emprego e rendimentos: Costa revela o que levou a défice a cair para metade

“Entre 448 milhões de euros em subsídios de desemprego que poupámos e mais 1600 milhões de euros em contribuições para a Segurança Social, a criação de mais e melhor emprego foi responsável por metade – sim, metade – da redução do défice em 2016 e 2017”, acentuou o líder do executivo.

Dos partidos aos sindicatos: como o país reagiu ao Orçamento do Estado para 2019

Ao longo da manhã desta terça-feira, Presidente, partidos, sindicatos e associações empresariais emitiram a sua opinião sobre a proposta orçamental para o próximo ano. O documento foi entregue a Ferro Rodrigues pouco antes da meia noite.
Comentários