Covid-19. CDS-PP questiona Governo e autarquias sobre resposta que está a ser dada a idosos e doentes crónicos

A bancada democrata-cristã considera que as autarquias têm “um papel fundamental” no apoio aos idosos e doentes crónicos e deve colaborar em ações de entreajuda para assegurar a sua saúde e evitar a propagação da pandemia.

Cristina Bernardo

O CDS-PP enviou esta terça-feira um conjunto de questões ao Governo e às Câmaras Municipais para saber que soluções estão a ser adotadas para ajudar a população idosa em situação de isolamento devido ao surto do novo coronavírus (Covid-19). O partido considera que as autarquias têm “um papel fundamental” no apoio aos idosos e doentes crónicos e deve colaborar em ações de entreajuda para evitar a propagação da pandemia.

No conjunto de questões enviadas, a que o Jornal Económico teve acesso, o CDS-PP nota que, “nos últimos dias, com o agravar da situação pandémica causada pelo coronavírus (Covid-19), têm surgido nas redes sociais vários movimentos espontâneos de entreajuda entre vizinhos (…) no sentido de salvaguardar os mais idosos e vulneráveis da exposição ao risco de contágio”. Essas ações de entreajuda destinam-se a ajudar os mais velhos ou pessoas que pertençam a grupos de risco a fazer compras de bens essenciais e medicamentos.

O CDS-PP nota, no entanto, que estes movimentos de entreajuda têm enfrentado algumas dificuldades “provavelmente por falta de informação clara e percetível ou por informação contraditória”, o que tem levado vários idosos e doentes crónicos a rejeitar este tipo de ajuda.

O grupo parlamentar democrata-cristão liderado por Telmo Correia questiona, por isso, ao Governo se não considera ” fundamental a implementação de um plano, ao nível das autarquias locais, em estreita articulação com as Juntas de Freguesia, IPSS [Instituições Particulares de Solidariedade Social] e outras entidades da sociedade civil, para identificação de todas as situações de isolamento da população idosa mais vulnerável, que necessita de auxílio”.

Os democratas-cristãos querem ainda saber se o Governo tem algum plano nesse sentido para que, ao nível das autarquias locais, possa ser dada resposta às necessidades dos mais vulneráveis “quer ao nível da alimentação, medicamentos, identificação de doenças, acompanhamento, limpeza e outras necessidades básicas”.

O CDS-PP reconhece que há vários municípios do país que estão a tomar essa iniciativa e, por isso, no conjunto de questões enviadas às autarquias, questiona se já têm algum plano em curso e, em caso afirmativo, se com esse plano fica “garantido o fornecimento de todo o equipamento necessário para proteção individual de todos envolvidos, para salvaguarda da sua saúde e evitar a propagação da pandemia”.

“A entreajuda e o apoio entre todos é fundamental numa altura como a que atualmente vivemos, em Portugal e no mundo”, sublinha a bancada parlamentar do CDS-PP.

Ler mais
Recomendadas

Reino Unido com mais 215 mortos por Covid-19 nas últimas 24 horas

O Governo mantém o seu plano de algumas escolas primárias em Inglaterra voltarem a funcionar na segunda-feira, embora alguns cientistas tenham manifestado receios de que esta reabertura seja prematura.

Jerónimo de Sousa: “Caiu por terra a teoria de que estamos todos no mesmo barco”

O secretário-geral do PCP diz que “a ilusão de que vai tudo ficar bem” “caiu por terra” com a pandemia e o encerramento de unidades educativas e critica “a medida do Governo de levar os estudantes do ensino profissional a terem de realizar uma autêntica volta pelo país para fazerem exames para os quais não foram preparados, para concorrer a meia dúzia de vagas”.

Infografia | Nove em cada dez casos novos de Covid-19 foram na região de Lisboa e Vale do Tejo

O mapa mostra, concelho a concelho, a evolução dos casos da doença nas últimas 24 horas em Portugal. O país registou mais 257 novas confirmações de infeção por coronavírus. Segundo a ministra da saúde, a região de Lisboa e Vale do Tejo representou, em média, 85% dos novos casos nos últimos oito dias.
Comentários