Covid-19: Contrato assinado agora prevê que concerto possa realizar-se no final de 2022

Atuação de Richie Campbell nas Festas da Vila de Mértola foi assinado entre a autarquia alentejana e a agência do músico português a 19 de junho. No entanto, a Covid-19 leva a que o concerto fique marcado para 25 de junho de 2021 e à previsão de um prazo longo se continuar a haver restrições à realização de espetáculos nessa altura.

Richie Campbell

Um contrato assinado a 19 de junho pela Câmara de Mértola para a realização de um concerto do músico português Richie Campbell nas Festas da Vila de 2020 poderá vir a realizar-se no final de 2022, pois o documento não só prevê o adiamento para o ano seguinte devido à pandemia de Covid-19 como estipula um período de 18 meses para a recalendarização do espetáculo se por razões de saúde pública não puder decorrer um ano após a data inicialmente acordada com a autarquia alentejana.

O contrato entre a Câmara de Mértola e a Bridgetown Talent Agency, que agencia Richie Campbell e diversos outros artistas nacionais, envolve o pagamento de 25 mil euros pelo espetáculo de música ao vivo, de entrada livre, que deveria realizar-se a 19 de junho. No entanto, as medidas excecionais e temporárias de resposta à Covid-19 justificaram o seu reagendamento para a noite de 25 de junho de 2021, enquadrando-se na edição do próximo ano das Festas da Vila. E caso não venha a suceder no prazo de um ano após a data inicialmente prevista, será promovido o seu reagendamento “até ao prazo de 18 meses após a cessação das medidas de proibição ou limitação de realização de espetáculos”.

Apesar dessa extrema cautela quanto à duração das medidas de resposta à pandemia, o contrato prevê que metade dos 25 mil euros (acrescidos de IVA) devidos pelo concerto sejam pagos ainda durante o ano de 2020, ficando a outra metade para o dia em que Richie Campbell atuar em Mértola.

A pandemia de Covid-19 tem prejudicado gravemente a comunidade artística, e em particular os músicos, que têm grande parte do rendimento assegurado por concertos contratados por municípios. Consultando o portal de contratação pública BASE, verifica-se que a Bridgetown Talent Agency só tem dois contratos assinados em 2020, enquanto em 2019 celebrou 12, sete dos quais durante o primeiro semestre desse ano.

A crise atinge outras empresas de agenciamento de artistas, incluindo a Ruela Music Management, cujo último contrato público tem data de 11 de março – um concerto da fadista Carminho em Bragança -, registando apenas seis concertos este ano, o que se compara com os 58 realizados em 2019.

Recomendadas

Três linhas de apoio social na Cultura estão abertas

Esta semana serão ainda divulgadas as condições de acesso aos 8,5 milhões de euros de reforço orçamental do Instituto do Cinema e Audiovisual (ICA), retirados do saldo de gerência, também para responder às necessidades dos trabalhadores desta área.

Livro: “Périplo pelos Bares do Mediterrâneo”

Se o expectável seria um rol de museus e locais históricos a visitar, neste livro, Ali Duaji, romancista tunisino de origem turca que também fez da poesia sua casa, preferiu perscrutar os povos mediterrânicos deambulando pelos seus bares.

Trabalhadores da Cultura têm cinco propostas para acabar com precariedade

O caderno de contributos e propostas inclui, por exemplo, o fim dos recibos verdes e a aplicação de contratos de trabalho onde figurem “o tempo de trabalho, a remuneração, os encargos sociais do empregador e os encargos sociais do empregado”.
Comentários