Covid-19: Itália com 8.292 novos casos e menor número de mortos desde outubro

Em Itália já foram infetadas 4.111.210 pessoas desde que em fevereiro do ano passado foi detetado o primeiro caso de covid-19 no país.

A Itália registou hoje mais 8.292 novas infeções pelo coronavírus SARS-CoV-2 e 139 mortos associados à covid-19, o que representa o menor número de óbitos num dia desde outubro do ano passado.

Nas últimas 24 horas, além de uma redução nos óbitos, também se verificaram menos novos casos de contágio, passando de 10.176 no sábado para 8.292, mas também diminuiu o número de testes de diagnóstico, para 226.006, contra os 338.436 realizados na sexta-feira.

No total de 226.006 testes de diagnóstico, foi detetada uma taxa de positividade de 3,7%, contra 3% registada no sábado.

Em Itália já foram infetadas 4.111.210 pessoas desde que em fevereiro do ano passado foi detetado o primeiro caso de covid-19 no país.

A pressão nos hospitais italianos continua reduzida, estando 15.420 pessoas internadas, menos 379 do que no sábado. Destes doentes, 2.192 encontra-se em unidades de cuidados intensivos (menos 19).

A partir de segunda-feira nenhuma região italiana estará na zona vermelha, aquela com maiores restrições, e apenas Sicília, Sardenha e Vale de Aosta estão na zona laranja.

Seis regiões têm uma classificação de risco moderado (das quais uma, Calábria, tem uma alta probabilidade de progressão para alto risco nas próximas semanas) e 15 regiões têm uma classificação de baixo risco.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 3.284.783 mortos no mundo, resultantes de mais de 157,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendadas

Arraial da IL em Lisboa com parecer desfavorável da DGS para atividades que extravasem comício

A Iniciativa Liberal (IL) promove este sábado um “Arraial Liberal” em Santos, Lisboa, com animação e 20 barraquinhas, mas a autoridade de saúde deu parecer desfavorável a todas as atividades que extravasem o comício político, e recomendou distanciamento.

Banco Mundial responsabiliza vacinação desigual por recuperação económica a dois tempos

A diretora-geral do Banco Mundial, Ngozi Okonjo-Iweala, afirmou este sábado, numa conferência à margem da cimeira do G7, que a distribuição desigual de vacinas vai ter impacto na recuperação económica mundial, em especial em África e na América Latina. 

Sesimbra não avança para nova fase de desconfinamento

O concelho de Sesimbra não vai avançar para uma nova fase de desconfinamento, ao contrário do que estava previsto, devido ao aumento local de casos de covid-19, disse este sábado à agência Lusa o presidente da autarquia, Francisco Jesus.
Comentários