Crédito Agrícola é o primeiro banco português a disponibilizar o Apple Pay

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.

O Crédito Agrícola anunciou que vai disponibilizar o serviço Apple Pay, e é o primeiro banco a fazê-lo em Portugal.

Esta é “uma clara aposta na inovação tecnológica na área dos meios de pagamento. A adesão está disponível para os Clientes aderentes do CA Mobile e titulares de dispositivos móveis Apple”, refere o banco liderado por Licínio Pina.

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.

O serviço está associado a um cartão de débito ou de crédito virtual, utilizável em todos os terminais que aceitem pagamentos com a tecnologia contactless e nas lojas de comércio eletrónico com o símbolo Apple Pay.

Assim, logo que o Cliente tenha o cartão virtual associado ao Apple Pay, poderá pagar as suas compras com o dispositivo móvel. O pagamento é idêntico ao efectuado com cartões físicos através da tecnologia contactless.

O Crédito Agrícola e a Apple garantem que não efectuam a troca de dados pessoais facultados pelo Cliente, o que reforça a segurança das transacções efectuadas através do Apple Pay.

“O Crédito Agrícola tem estado na vanguarda da disponibilização de serviços inovadores nos sistemas de pagamento, tendo sido pioneiro no lançamento do cartão dual, do cartão contactless, do cartão com chip e do cartão vertical”, refere a nota.

Ler mais
Recomendadas

Novo Banco faz fusão por incorporação com BES das Ilhas Caimão

Contactada pela Lusa, fonte oficial do Novo Banco confirmou a informação, explicitando que se trata de uma fusão por incorporação.

BCP ficou com 10,9% na Inapa que quer vender no mercado

O BCP ficou diretamente (sem contar com a participação do Fundo de Pensões) com 10,88% da Inapa que quer vender no mercado paulatinamente, para não perturbar a bolsa.

Contribuições para o Fundo de Resolução? Miguel Maya diz que solução não deve “endossar esta responsabilidade aos contribuintes”

O CEO do Millennium bcp, Miguel Maya, fez três pedidos à classe política portuguesa: estabilidade para o setor financeiro, previsibilidade para reforçar a confiança no investimento e regulação equitativa para todos os que operam no sistema financeiro português, independentemente do país de origem ou de serem bancos ou FinTech.
Comentários