Crédito Agrícola é o primeiro banco português a disponibilizar o Apple Pay

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.

O Crédito Agrícola anunciou que vai disponibilizar o serviço Apple Pay, e é o primeiro banco a fazê-lo em Portugal.

Esta é “uma clara aposta na inovação tecnológica na área dos meios de pagamento. A adesão está disponível para os Clientes aderentes do CA Mobile e titulares de dispositivos móveis Apple”, refere o banco liderado por Licínio Pina.

O banco garante que a utilização desta funcionalidade não tem qualquer custo para o utilizador e a aceitação de pagamentos através do Apple Pay não representa custos adicionais para o comerciante.

O serviço está associado a um cartão de débito ou de crédito virtual, utilizável em todos os terminais que aceitem pagamentos com a tecnologia contactless e nas lojas de comércio eletrónico com o símbolo Apple Pay.

Assim, logo que o Cliente tenha o cartão virtual associado ao Apple Pay, poderá pagar as suas compras com o dispositivo móvel. O pagamento é idêntico ao efectuado com cartões físicos através da tecnologia contactless.

O Crédito Agrícola e a Apple garantem que não efectuam a troca de dados pessoais facultados pelo Cliente, o que reforça a segurança das transacções efectuadas através do Apple Pay.

“O Crédito Agrícola tem estado na vanguarda da disponibilização de serviços inovadores nos sistemas de pagamento, tendo sido pioneiro no lançamento do cartão dual, do cartão contactless, do cartão com chip e do cartão vertical”, refere a nota.

Ler mais
Recomendadas

PSD diz que “começa a ser evidente” necessidade de uma comissão de inquérito ao Novo Banco

Em causa está mais um negócio ruinoso do Novo Banco para o Estado português, desta vez com a venda a preços de saldo de uma seguradora a um fundo detido por um milionário condenado por corrupção. Os social-democratas dizem que comissão de inquérito é essencial para se perceber como forma feitas as compras e vendas de ativos do banco.

ASF esclarece que não se opôs à venda do GNB porque Lindberg não seria o beneficiário final

Supervisor de seguros português reitera que apenas se pronunciou sobre idoneidade e capacidade de assegurar gestão sã da GNB pelo fundo Apax, no qual não detetou ligações com o empresário condenado por corrupção nos EUA.

Novo Banco: Marcelo não comenta venda de seguradora com 70% de desconto e diz que vai esperar pela auditoria

O Chefe de Estado disse que vai esperar pela auditoria à gestão do banco liderado por António Ramalho, pedida pelo Governo à Deloitte, e que as consequências dos negócios ruinosos do Novo Banco só poderão ser determinadas depois de conhecidos os resultados da auditoria.
Comentários