PremiumCredores exigem 700 milhões de euros à Brisa e ameaçam ficar com concessões

A dívida bancária das concessionárias Brisal e Douro Litoral, de 1,6 mil milhões, que foi comprada pelos fundos, está a criar uma “guerra” entre os credores e a Brisa. Os fundos querem ser pagos, mas pedem um valor que a Brisa considera “inviável”.

Os atuais credores das duas concessionárias – o Strategic Value Partners (SVP Global); o Deutsche Bank; o JP Morgan; o fundo Cross Ocean e o BEI (Banco Europeu de Investimento) – querem forçar a Brisa a pagar a dívida das concessionárias que compraram à banca com um desconto de 79,5%, apurou o Jornal Económico. Mas a Brisa não concorda com os valores pedidos pelos fundos na última proposta enviada pelos credores, em outubro, e que tinha implícita uma valorização de cerca de 100% face ao valor investido na compra dos créditos.

Segundo as nossas fontes, os credores, que se vêem privados de receber a totalidade dos juros e capital em dívida desde que a adquiram aos bancos, querem receber já 325 milhões pela dívida da Brisal (que em termos nominais é de 592 milhões) e 400 milhões pela dívida da AEDL (Autoestradas do Douro Litoral) que é, em termos nominais, de 1.010 milhões. Ora, a Brisa considera que esta proposta é inviável, dado o valor atual das concessionárias, pelo que tem estado em negociações para chegar a uma solução que “seja razoável” para ambas as partes. Em declarações ao Jornal Económico, fonte oficial da Brisa diz que a empresa “continua ativa na busca de uma solução equilibrada de longo prazo e está aberta ao diálogo”.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor.

Relacionadas

Fitch melhora rating de longo prazo da Brisa

Melhoria do rating internacional da concessionária de autoestradas decorre da envolvente e dos resultados financeiros apresentados. Esta é a primeira empresa portuguesa com rating A.

Brisa: tráfego aumentou 4,2% nos primeiros nove meses de 2018

Relatório enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) da concessionária rodoviária indica que esta subida é suportada por um forte crescimento orgânico. No período homólogo registou-se uma desaceleração do crescimento de 2,3%.

Via Verde lança novo portal para empresas

Fonte oficial da Brisa disse ao Jornal Económico que a empresa investiu 300 mil euros para criar o portal “Via Verde Business”.
Recomendadas

Banco de Portugal: empréstimos concedidos pelos bancos descem 0,8% no mês de outubro

No mês de outubro os empréstimos concedidos pelos bancos a sociedades não financeiras apresentaram uma taxa de variação anual (tva) de -0,8%, comparado com os -0,3% registados em setembro.

Conselho das Finanças Públicas divulga publicação sobre o sistema de saúde em Portugal

O CFP descreve os principais elementos que caracterizam um sistema de saúde, comparando o sistema português com o dos restantes países da OCDE e detalhando o modelo vigente em Portugal.

Banco de Portugal: taxa de juro média dos novos empréstimos cresceu 2,43% em outubro

Esta percentagem representa um aumento de sete pontos base (pb) face ao mês anterior.
Comentários