Crescimento económico dos EUA revisto em alta. PIB expandiu 4,2% no segundo trimestre

A atualização refletiu principalmente revisões em alta do investimento fixo de não-residentes e dos stocks de investimento privado, que foram parcialmente compensados por uma revisão em baixa das despesas de consumo pessoal.

Nova Iorque, EUA

O produto interno bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu 4,2% no segundo trimestre do ano, em comparação com o período homólogo, de acordo com dados publicados esta quarta-feira pelo Bureau of Economic Analysis.

O ritmo de expansão representa uma revisão em alta face à anterior estimativa (de 4,1%) e supera as expetativas dos analistas, que antecipavam uma revisão em baixa (para 4%). No acumulado do primeiro semestre, o crescimento económico foi de 2,2%.

“A estimativa do PIB divulgada hoje [quarta-feira] tem por base dados de fontes mais completas do que os disponíveis para a estimativa rápida emitida no mês passado. Na estimativa rápida, o aumento no PIB real foi de 4,1%”, explicou o gabinete oficial de estatísticas dos EUA.

O Bureau of Economic Analysis sublinhou que, apesar da revisão em alta nesta segunda estimativa para o segundo trimestre, o quadro geral de crescimento económico permanece o mesmo.

“A atualização refletiu principalmente revisões em alta do investimento fixo de não-residentes e dos stocks de investimento privado, que foram parcialmente compensados por uma revisão em baixa das despesas de consumo pessoal (PCE). As importações, que são subtraídas do cálculo do PIB, foram revistas em baixa”, acrescentou.

Relacionadas

Fed admite subida de juros se economia dos EUA continuar forte

“Embora a inflação tenha recentemente aumentado quase 2%, não vimos sinais claros de aceleração acima de 2%, e não parece haver um alto risco de superaquecimento”, disse Powell, em Jackson Hole.

Guerra comercial agudiza receios de abrandamento económico mundial

Na opinião de diversos analistas e economistas, a intensificação da guerra comercial pode resultar numa subida dos preços nos EUA, numa diminuição das exportações e numa economia mais débil no próximo ano, com um abrandamento que pode chegar ao meio ponto percentual e levar à perda de 700.000 empregos.
Recomendadas

Covid-19: Mais de 530 mil pessoas vacinadas na região Centro

João Paulo Rebelo falava no âmbito de uma visita que realizou aos concelhos do Fundão e da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, e que também contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, e da secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira.

“Governo beneficia casinos mas esquece os trabalhadores”, diz federação intersindical

A Federação intersindical do setor do turismo exige medidas de apoio aos trabalhadores dos casinos, depois do Executivo ter decidido isentar estes estabelecimentos do pagamento do imposto de jogo e prolongado as concessões dos casinos de Lisboa, Estoril e Figueira da Foz, que terminaram a 31 de dezembro de 2020. FESAHT acusa o Governo: “aos patrões do jogo dá tudo, tudo, aos trabalhadores dá nada, nada”.

EUA: Produção industrial sobe pelo segundo mês seguido, apesar de constrangimentos no sector automóvel

A indústria norte-americana beneficiou com a reabertura de várias fábricas dos estados do sul afetados pela tempestade de fevereiro, mas a indústria automóvel penalizou o resultado final, com uma queda de 4,3% na produção a refletir as dificuldades causadas pelos atrasos no fornecimento de chips.
Comentários