Crescimento global de insolvências vai marcar 2020, mas em Portugal podem recuar 2%

A Europa de Leste é a única região na qual a seguradora de crédito espanhola Crédito y Caución prevê uma melhoria dos níveis de insolvência em 2019.

O mais recente Economic Outlook divulgado pela Crédito y Caución, especialista em seguro de crédito interno e de exportação a operar em Portugal, prevê um aumento de 3% nos níveis de insolvência em 2019, que afetará todas as regiões, com exceção para a Europa de Leste, numa tendência que vai manter-se em 2020 com um aumento previsto na ordem dos 2,6%.

Em Portugal, um dos países com níveis de insolvência mais elevados, a seguradora de crédito espera uma descida de 2% em 2020, sendo que, na Europa Ocidental as insolvências vão aumentar 2,3% em 2019, revelando assim aquele que é o primeiro aumento na região desde 2013. Para 2020, prevê um aumento inferior a 1,3%.

Após uma década de estímulos monetários excecionais, a dívida corporativa global aumentou significativamente, elevando a vulnerabilidade das empresas às crises económicas e financeiras. “A desaceleração industrial mundial e a guerra comercial entre os EUA e a China estão a agravar os desafios para as empresas. As perspetivas sombrias para o comércio e a incerteza da política comercial pesam no sentimento empresarial e no crescimento do investimento, o que aumenta os riscos de crédito”, conclui o relatório.

Reino Unido e Hong Kong lideram subidas

Por países, um em cada três enfrentará a deterioração das condições de insolvência no próximo ano. Os maiores aumentos são esperados no Reino Unido e em Hong Kong (7%), seguidos de perto pela Turquia, Singapura e Roménia (5%). Num plano considerado estável (limitado a cerca de 2%) encontram-se os países que irão registar um leve aumento e cujo número duplica face aos que esperam uma melhoria. Outro sinal de que o ciclo de insolvências está a mudar é que a maioria dos países com baixos níveis de incumprimento em 2007 enfrentará um aumento das insolvências em 2020.

2020: ano de “aumento contido”

O relatório salienta que os níveis de insolvência são mais sensíveis à atual incerteza comercial do que a evolução do PIB. As barreiras comerciais geram lucros para alguns setores e perdas para outros que poderão compensar-se em termos de crescimento económico, mas o número de falências sofrerá um incremento. “Embora as perspetivas de insolvência para 2019 e 2020 sejam pessimistas, o aumento das insolvências está relativamente contido nos 3% ao ano face aos aumentos de mais de 30% em 2008 e de 25% em 2009”, realçam os analistas.

Ler mais
Recomendadas

Epson Europa vê Portugal como “mercado totalmente estratégico”

Raúl Sanahuja, responsável de Relações Públicas e Comunicação da Epson, considera que as empresas portuguesas são mais “ousadas” e “lançadas” na integração de tecnologia de impressão.

“Problemas no setor de aviação convertem-se em oportunidades”, considera CEO da EuroAtlantic

Quais os grandes desafios que o setor da aviação vai ter que ultrapassar? Eugénio Fernandes, CEO da EuroAtlantic, esclarece que a empresa funciona em contraciclo com o mercado e que os problemas no setor convertem-se em oportunidades. Quanto aos problemas, este responsável aponta a falta de pessoal como questão a ultrapassar.

PremiumPartner da Peugeot lidera vendas nacionais da marca

Jean-Philippe Imparato explicou ao Jornal Económico a evolução global da marca no ano passado, com uma quebra de 8,8% registada nas suas vendas mundiais (excluído o mercado do Irão).
Comentários