Crise no PSD: Rio acusa Montenegro de “fazer o jogo” do PS e de Costa

“Não há memória de na historia da democracia portuguesa, um dirigente ter lançado tamanha confusão e instabilidade no seu partido a tão pouco tempo das eleições. É difícil imaginar melhor serviço ao PS e ao Governo”, acusou o presidente do PSD, referindo-se a Luís Montenegro.

O presidente do PSD veio a público acusar Luís Montenegro de estar a favorecer o Governo PS, ao tentar convocar eleições internas num ano em que vão ter lugar as eleições e as legislativas.

Rui Rio também anunciou a convocatória de um conselho nacional extraordinário para apreciar e votar uma moção de confiança à sua liderança.

“Não há memória de na historia da democracia portuguesa um dirigente partidário ter lançado tamanha confusão e instabilidade no seu partido a tão pouco tempo das eleições. É difícil imaginar melhor serviço ao PS e ao Governo”, acusou Rui Rio este sábado num discurso no Porto transmitido pela SIC Notícias.

“Lançar o PSD numa nova disputa interna a beira de eleições é fazer o jogo do PS e prestar um serviço de primeiríssima qualidade a António Costa”, disse Rui Rio.

Recorde-se que na sexta-feira, o antigo líder parlamentar do PSD, Luís Montenegro, exigiu que Rui Rio convocasse imediatamente eleições diretas no PSD, e anunciou a sua candidatura à liderança dos sociais-democratas.

Relacionadas

Rui Rio já convocou reunião extraordinária do Conselho Nacional do PSD

Pouco mais de 24 horas passadas sobre a avançada de Luís Montenegro, Rui Rio ripostou de forma dura e quer tudo clarificado no PSD.
Recomendadas

Brexit: saída sem acordo é praticamente inevitável

Saída de Theresa May da chefia do governo britânico e da frente de negociações do Brexit mudará alguma coisa? Aparentemente não, até porque o seu sucessor só pode ser da linha dura dos conservadores. E Bruxelas já não quer saber do assunto para nada.

Fórum do BCE de ‘despedida’ de Draghi esta segunda-feira em Sintra

O último Fórum do Banco Central Europeu (BCE) com Mario Draghi na liderança começa na segunda-feira, em Sintra, e decorre até quarta-feira, sob o mote dos 20 anos da zona euro.

Catarina Martins quer que PS aprove “valorização salarial”

Catarina Martins salientou que “os salários em Portugal são baixos demais no setor público como no setor privado”, observando que o crescimento da economia “não é acompanhado por um crescimento proporcional dos salários”, o que provoca “desigualdades crescentes de rendimentos”.
Comentários