CTT estabelece parcerias para o lançamento de novas aplicações móveis

A aplicação móvel CTT vai possibilitar a qualquer utilizador a consulta de mapas para localizar as lojas e postos CTT, pesquisar códigos postais, acompanhar encomendas postais, e solicitar pedidos ‘SIGA’ para reencaminhar o correio. Além disso este serviço permite também consultar os valores em dívida relativos a portagens SCUT e obter referências multibanco para proceder ao seu pagamento.

Rafael Marchante/Reuters

Os CTT vão passar a ter três novas aplicações móveis disponíveis para os seus clientes. Em comunicado, a empresa de correios portuguesa revela que estabeleceu uma parceria com a OutSystems, empresa de desenvolvimento e oferta de plataformas low-code que permitem um rápido desenvolvimento de aplicações empresariais, esteve na base dos três serviços, que foram desenvolvidos pela “Askblue”, uma consultora vocacionada para o desenvolvimento de projetos e com fortes competências em tecnologias de informação.

A aplicação móvel CTT vai possibilitar a qualquer utilizador a consulta de mapas para localizar as lojas e postos CTT, pesquisar códigos postais, acompanhar encomendas postais, e solicitar pedidos ‘SIGA’ para reencaminhar o correio. Além disso este serviço permite também consultar os valores em dívida relativos a portagens SCUT e obter referências multibanco para proceder ao seu pagamento.

Com o CTT E-Segue os clientes vão poder seguir, alterar e enviar encomendas a partir de um smartphone ou tablet. Estes envios podem ser solicitados em qualquer hora e lugar, com o pagamento a ser feito na aplicação. Por fim, a Via CTT  permitirá receber o correio em formato digital e pode ser consultada a partir do smartphone.

Pedro Gomes, Diretor de Sistemas e Informação dos CTT, refere que “enquanto empresa líder no mercado das comunicações físicas em Portugal, a transformação digital era obrigatória para continuarmos a prestar a melhor experiência aos nossos clientes. A adoção da plataforma OutSystems e a parceria com a Askblue têm sido apoios fundamentais nessa viagem digital dos CTT”.

 

Relacionadas

Jefferies avisa que metas dos CTT são “desafiantes” e corta preço-alvo em 12%

A pressão sobre os volumes no correio tradicional e os aumentos nos custos do trabalho e dos transportes tornam a meta de manter um EBITDA estável este ano mais difícil, segundo o banco de investimento, que cortou o preço-alvo para 3 euros por ação de 3,35 euros. O título cai tomba 3,39% para 2,904 euros esta segunda-feira.

CTT arrastam bolsa de Lisboa para o ‘vermelho’. DAX alemão teme crise política

O PSI 20, cai 0,73%, para 5.488,29 pontos, seguindo a tendência na Europo. Os CTT – Correios de Portugal lideram as perdas, com um tombo de 3,53%, para 2,90 euros.

CTT interessados em distribuir a Amazon em Portugal

A distribuidora está a alterar a sua postura de mercado face à evidência da digitalização da sociedade: em dez anos, o número de cartas distribuídas em Portugal passou de 1,3 mil milhões para 600 milhões.

BlackRock passa a deter participação qualificada nos CTT

Na nota enviada ao regulador dos mercados, os CTT referem que o limiar dos 2% a partir do qual é alcançada uma participação qualificada foi superado ontem dia 25 de junho.
Recomendadas

Caixa BI escolhe Mota, REN, Sonae e Sonae Capital como ‘top picks’ para 2020

O banco de investimento da CGD antevê um 2020 positivo para o PSI 20, com uma subida potencial de 13% alimentada pelas pares na Europa e nos EUA e o menor risco-país de Portugal. Sobre as favoritas: a Mota-Engil vai ganhar com expansão internacional, a REN é um porto seguro, a Sonae tem vários pontos de ganhos e a Sonae Capital está exposta a muitas oportunidades.

Vendas da Jerónimo Martins cresceram 7,5% em 2019, para 18,6 mil milhões

A Biedronka, cadeia retalhista gerida pelo grupo na Polónia, valeu 67,7% das vendas líquidas preliminares da Jerónimo Martins no ano passado, um total de 12.621 milhões de euros, mais 7,9% que no ano precedente.

Auchan faz parceria com a ‘app’ Too Good To Go contra o desperdício alimentar

A loja Auchan do Almada Fórum será a primeira do grupo a vender os seus excedentes alimentares nesta aplicação.
Comentários