CTT testa ‘drones’ para entrega de correio

Depois da Marmita Voadora, a ‘Connect Robotics’ demonstrou o seu serviço de entregas por drones à CTT.

Durante três dias, os CTT – Correios de Portugal testaram um drone para entrega de correio. A experiência, organizada pela startup ‘Connect Robotics’, foi testada num percurso de três quilómetros, feito em cerca de sete minutos.

O Centro de Distribuições dos CTT foi o ponto de partida da operação, que terminou na sede da empresa, no Parque das Nações. Por se tratar de uma área controlada pelo Aeroporto Humberto Delgado, o voo teve apenas uma altitude de 30 metros.

“O nosso serviço é, sem dúvida, uma mais valia para a distribuição de cartas ou encomendas. Um drone é mais rápido, mais silencioso, menos dispendioso e ninguém tem de perder tempo para se deslocar. Acreditamos que este será o método mais utilizado para a distribuição de pequena mercadoria, no futuro”, afirma Eduardo Mendes, CEO da Connect Robotics.

Depois da Marmita Voadora – projeto realizado com a Santa Casa da Misericórdia e a Câmara Municipal de Penela –   que entregou refeições ao último habitante da aldeia de Podentinhos, a ‘Connect Robotics’ demonstrou o seu serviço de entregas por drones à CTT.

A viabilidade da tecnologia está em análise pelos decisores dos Correios.

 

Recomendadas

CGTP diz que chumbo do OE2022 deve-se a falta de vontade política do Governo

Para a CGTP a proposta do Governo não promovia o necessário crescimento dos salários e pensões, nem maior justiça fiscal, não acabava com a precariedade laboral, nem travava a destruição de postos de trabalho por grandes grupos empresariais, nem sequer promovia contratação coletiva.

Duodécimos limitam execução mensal até à entrada em vigor de novo orçamento

“Durante o período transitório em que se mantiver a prorrogação de vigência da lei do Orçamento do Estado respeitante ao ano anterior, a execução mensal dos programas em curso não pode exceder o duodécimo da despesa total da missão de base orgânica”, pode ler-se na lei de Enquadramento Orçamental atualmente em vigor.

OE2022. ‘Chumbo’ reflete “saturação pelo modelo de governação”, afirma presidente da CAP

Falando à margem da conferência sobre o Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), promovida pelo Fórum para a Competitividade, que hoje decorreu em Lisboa, Eduardo Oliveira e Sousa recebeu sem surpresa o chumbo da proposta orçamental, salientando que os últimos debates na Assembleia da República “foram esclarecedores” relativamente “a uma espécie de saturação que vinha a ser demonstrada sobre o modelo de governação que estava em exercício”.
Comentários