CTT testa ‘drones’ para entrega de correio

Depois da Marmita Voadora, a ‘Connect Robotics’ demonstrou o seu serviço de entregas por drones à CTT.

Durante três dias, os CTT – Correios de Portugal testaram um drone para entrega de correio. A experiência, organizada pela startup ‘Connect Robotics’, foi testada num percurso de três quilómetros, feito em cerca de sete minutos.

O Centro de Distribuições dos CTT foi o ponto de partida da operação, que terminou na sede da empresa, no Parque das Nações. Por se tratar de uma área controlada pelo Aeroporto Humberto Delgado, o voo teve apenas uma altitude de 30 metros.

“O nosso serviço é, sem dúvida, uma mais valia para a distribuição de cartas ou encomendas. Um drone é mais rápido, mais silencioso, menos dispendioso e ninguém tem de perder tempo para se deslocar. Acreditamos que este será o método mais utilizado para a distribuição de pequena mercadoria, no futuro”, afirma Eduardo Mendes, CEO da Connect Robotics.

Depois da Marmita Voadora – projeto realizado com a Santa Casa da Misericórdia e a Câmara Municipal de Penela –   que entregou refeições ao último habitante da aldeia de Podentinhos, a ‘Connect Robotics’ demonstrou o seu serviço de entregas por drones à CTT.

A viabilidade da tecnologia está em análise pelos decisores dos Correios.

 

Recomendadas

Tomás Correia multado em 1,5 milhões de euros pelo Banco de Portugal

Tomás Correia, responsável da Associação Mutualista Montepio Geral foi multado pelo Banco de Portugal (BdP) por “irregularidades graves realizadas quando exercia o cargo do presidente da Caixa Económica, entre 2008 e 2015.

Prolongar um contrato de arrendamento além de 30 anos implica pagar IMT

Os arrendamentos de longa duração e não renováveis que sejam alvo de uma extensão do prazo e se prolonguem para além dos 30 anos implicam o pagamento de Imposto Municipal sobre Transações (IMT) por parte do inquilino.

SAD do Benfica propôs a venda do Estádio da Luz e da Benfica TV ao SLB por 100 milhões

Avaliados em 99,27 milhões de euros, o Estádio da Luz e a Benfica TV poderão ser adquiridos pelo clube SLB, contra o respetivo pagamento a 25 anos. Desta forma os dois ativos benfiquistas poderão deixar de ser detidos pela SAD do Benfica.
Comentários