Cuatrecasas procura mais empresas ‘legaltech’ para acelerar

As seis startups selecionadas vão receber uma carteira digital com 80 ‘tokens’ que vão poder ser trocados por assessoria jurídica com base na tecnologia ‘blockchain’.

A sociedade de advogados Cuatrecasas, através da aceleradora Acelera, abriu inscrições para receber novas seis no seu programa de empreendedorismo legaltech (ligado à área tecnológica e jurídica, simultaneamente). Depois de apoiar quase 30 projetos presencialmente, esta quinta edição terá, na sua maioria, um formato digital. As inscrições decorrem até ao próximo dia 7 de julho.

A Cuatrecasas Acelera vai focar-se em blockchain e Inteligência Artificial e entregar às seis startups selecionadas uma carteira digital com 80 tokens que vão poder ser trocados por assessoria jurídica com base na tecnologia blockchain.

O programa, que vai contar com a colaboração da Netmentora, Microbank e Alastria, prevê quatro meses de apoio jurídico, de negócio e tecnológico, assim como acesso a clientes e financiamento e especialistas externos.

Que startups podem participar?

  • As que tenham sido constituídas há menos de cinco anos, tenham um produto mínimo viável (MVP) e contem com uma equipa “sólida”.

“O processo de seleção irá valorizar projetos com soluções inovadoras para a advocacia de negócios, de base tecnológica e de elevada complexidade jurídica de outros âmbitos, que ofereçam soluções para a digitalização do negócio e projetos centrados em soluções de tecnologias blockchain e smart contracts”; segundo a informação divulgada recentemente pelo escritório ibérico.

Em setembro, vão ser pré-selecionadas entre 20 e 25 iniciativas para o programa de aceleração e quatro startups para o programa “Fast Track” e serão dadas a conhecer as startups selecionadas: seis para o primeiro programa e duas para o segundo.

Paralelamente, serão escolhidas duas startups legaltech ou tecnológicas mais maduras para que se possa desenvolver com essa dupla um caso de uso (piloto) orientado para alguns dos desafios estabelecidos pela Cuatrecasas: maximização do conhecimento coletivo, melhoria da produtividade e da eficiência através da automatização e blockchain e criação de contratos inteligentes aplicáveis aos negócios.

Ler mais
Recomendadas

Gabriela Figueiredo Dias: “Wirecard é só mais um caso a colocar a tónica na idoneidade. É uma importante lição”

E alerta que não é preciso remontar a 2001 (Enron), 2003 (Parmalat) ou mesmo 2008, com a queda da Lehman Brothers, para que se perceba que a fragilidade de instituições, que depende dos modelos de organização das empresas, compromete a criação de riqueza.

KPMG antevê novo paradigma pós-covid na arquitetura dos estádios de futebol

Consultora e estúdio de arquitetura realçam a importância do distanciamento social e de uma experiência sem contacto com superfícies ou objectos nos estádios depois da pandemia. A adaptação levará a custos acrescidos, mas especialistas mostram-se otimistas com resultados no médio e longo prazo.

João Araújo: do burlesco como forma de exercer advocacia

Já tinha sido notado como advogado de alguns réus do processo das FP 25 de Abril, mas a defesa do ex-primeiro-ministro José Sócrates e a forma inesperada como o fez reservaram-lhe um lugar especial no circo mediático.
Comentários