PremiumDBRS: banca de investimento salvará receitas dos bancos

O semestre foi de queda de receitas e de aumento de imparidades. BCP e Santander Totta constituíram 210 milhões em imparidades Covid. A DBRS diz que rentabilidade virá da banca de investimento.

A agência de notação financeira, DBRS Morningstar, alerta que este e o próximo ano serão um desafio para o setor bancário europeu. “Continuará a haver tendências para elevadas provisões para perdas esperadas no crédito, para uma rentabilidade enfraquecida na maioria dos bancos, lucros potencialmente mais fortes na banca de investimento e elevados custos extraordinários, como a desvalorização do goodwill do Santander [Espanha]”, disse ao Jornal Económico Elisabeth Rudman, Head of European Financial Institutions, da DBRS.

No 1º semestre o BCP e o Santander Totta, os dois grandes bancos que já apresentaram as contas, confirmam uma pressão nas receitas, sem perspectiva de inversão da tendência até ao fim do ano. O produto bancário do Santander Portugal caiu 6,3% face a junho do ano passado para 660 milhões. Muito à custa da quebra de 6,8% da margem financeira (receita proveniente da diferença entre juros de crédito e de depósitos), para 401,1 milhões de euros.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Lucros do Grupo Crédito Agrícola caem 33% no primeiro semestre para 50 milhões de euros

As imparidades constituídas de 391 milhões de euros penalizaram o resultado líquido consolidado do Crédito Agrícola no primeiro semestre de 2020.

Valor dos fundos de investimento em Portugal aumenta 600 milhões no segundo trimestre

A subida assentou sobretudo numa valorização dos ativos. Particulares continuam a ser a maior fatia dos detentores destes títulos.

Banco de Fomento terá sido aprovado pelo supervisor

Ainda sem conselho de administração, o Governo espera que a formalização deste banco seja célere. Nova instituição vai ser aprovada em Conselho de Ministros.
Comentários