De Sever do Vouga para os EUA: Graphenest-Advanced Nanotechnology participa em programa de aceleração

O programa de aceleração da TechStars que decorre em Boston (EUA), até o dia 23 de abril, é bastante restrito, e selecionou a Graphenest entre milhares de candidaturas.

A Graphenest-Advanced Nanotechnology, startup sedeada no VougaPark-Centro de Inovação que desenvolve tecnologias inovadoras baseadas no grafeno, é a única estrangeira presente no programa de aceleração da TechStars, o qual conta com a parceria da US Air Force.

O programa de aceleração da TechStars que decorre em Boston (EUA), até o dia 23 de abril, é bastante restrito, e selecionou a Graphenest entre milhares de candidaturas.

Com a participação desde sempre condicionada à possibilidade das forças aéreas americanas fazerem uso das aplicações desenvolvidas pela equipa, a Graphenest tem estado em contacto com oficiais militares do Departamento de Defesa, investidores, empresários, ex-participantes da Techstars e outros interessados em grafeno, como investigadores do MIT, desde janeiro.

Sobre esta participação, Bruno Figueiredo, co-fundador da Graphenest, afirma que se  trata de um “passo muito importante porque demonstra, uma vez mais, a importância que a empresa desempenha no desenvolvimento de tecnologias inovadoras baseadas em grafeno, reforçando, e muito, a sua posição como representante de Portugal naquilo que melhor se faz no país”. O diretor científico da Graphenest espera que, através dos contactos que têm sido feitos, “a relevância da empresa na rede científica e empresarial seja consolidada”.

Criada em 2015, após um investimento da Portugal Ventures, a sede das operações da Graphenest-Advanced Nanotechnology é em Sever do Vouga, mais precisamente no VougaPark-Centro de Inovação, que tem acompanhado a empresa desde o primeiro momento. Os seus fundadores são: Bruno Figueiredo, diretor científico e doutorado em Engenharia Química, Rui Silva, diretor técnico, mestrado em Engenharia Química, e Vítor Abrantes, administrador e licenciado em Tecnologia e Design do Produto.

Recomendadas

“Overtourism”: Estas 10 cidades estão a ser engolidas pelo turismo em massa

Com cada vez mais viajantes, o conceito de turismo em excesso alargou-se a mais destinos. Conheça os países que vão ser as principais vítimas deste fenómeno na próxima década.

O que fazer quando um crédito “desaparece” da Central de Responsabilidades

No caso de o crédito “desaparecer” da CRC não significa que a dívida deixou de existir, sendo que o consumidor mantém a sua responsabilidade perante a obrigação. Esta situação poderá ocorrer aquando da cessão de crédito (venda da dívida a terceiros), a favor de uma entidade fora do sistema financeiro, pelo que esta passa a assumir a posição de credor.

Mais de metade dos portugueses não confiam em fazer compras pela internet

Entre os consumidores que já aderiram às compras pela internet, 65% destacam como grande vantagem a comodidade. Por outro lado, 44% vê nas devoluções o maior entrave no ‘e-commerce’.
Comentários