DECO inaugura hoje Gabinete de Aconselhamento de Energia

A pobreza energética, que não tem uma definição legal em Portugal ou na UE, pode ser definida como o conjunto de situações em que um agregado familiar não tem capacidade de assegurar os níveis mais básicos de energia para conseguir iluminar, cozinhar e aquecer a habitação.

A DECO inaugura hoje o Gabinete de Aconselhamento de Energia – GAE.

Com este Gabinete, a DECO pretende prestar aconselhamento personalizado e detalhado aos consumidores sobre energia. O GAE é uma atividade do projeto STEP (Soluções para Combater a Pobreza Energética – financiado pelo programa H2020 da UE) que tem como objetivo desenvolver um conjunto de soluções para ajudar os consumidores a combater a pobreza energética.

Com a chegada do tempo frio, e com a atual crise pandémica, os consumidores procuram resguardar-se e ficar mais tempo em casa. Mas estar em casa não é sinónimo de estar quente e confortável, aliás a realidade de muitos portugueses é passar frio. Portugal é o quinto país europeu onde os cidadãos têm mais dificuldades em aquecer as suas casas: 19% da população tem dificuldades financeiras em manter a habitação a temperaturas adequadas ao inverno. Falamos de pobreza energética.

A pobreza energética, que não tem uma definição legal em Portugal ou na UE, pode ser definida como o conjunto de situações em que um agregado familiar não tem capacidade de assegurar os níveis mais básicos de energia para conseguir iluminar, cozinhar e aquecer a habitação.

Atuando especificamente nesta área, o GAE tem uma equipa preparada para informar e ajudar os portugueses a melhorar a eficiência energética da sua casa, a gerir os seus consumos, a compreender o funcionamento do mercado de energia, bem como a recorrer a mecanismos de apoio em situação de pobreza energética.

São objectivos principais do GAE:

  • Apoiar os consumidores em situação de pobreza energética a gerir o seu consumo de energia e a melhorar o seu padrão de vida, ajudando-os a encontrar as soluções mais adequadas, nomeadamente no que respeita a mecanismos de apoio existentes.
  • Aconselhar os consumidores para um consumo mais eficiente de energia, esclarecendo como essa preocupação os pode ajudar a economizar, a melhorar a sua saúde e bem-estar e a contribuir para a transição energética.

A pobreza energética é um problema comum, embora pouco conhecido dos consumidores, que vivem num risco crescente de a enfrentar. Não passe frio! Esclareça as suas dúvidas e preocupações com o GAE. Agende já o seu atendimento: 213 710 200 ou energia@deco.pt

Conte com o apoio da DECO MADEIRA. Siga-nos nas redes sociais Facebook, Twitter, Instagram, Linkedin e Youtube!

Ler mais
Recomendadas

Maioria dos portugueses prefere produtos que utilizam a menor embalagem possível

O recente estudo, realizado pela DS Smith e Ipsos MORI mostra que, apesar da crise global de saúde, os consumidores continuam a ter em conta o ambiente: 85% dos inquiridos querem comprar produtos que utilizem a menor embalagem possível

Deco alerta para riscos das compras através de redes sociais

Estas “lojas”, na sua maioria, não se encontram registadas como empresas em Portugal, não possuem um endereço físico de contacto, e, por vezes, não se tratam de vendas de comerciantes, mas sim vendas entre particulares, o que torna mais difícil a resolução de um possível conflito. O endereço físico da loja, ou uma morada para contacto, é essencial para reclamar em caso de conflito.

Economia circular: portugueses gastam mais de 140 euros por ano em bens usados

Em média, o consumidor português gasta 142 euros por ano em bens usados. As razões que motivam estas compras são principalmente a relação qualidade/preço e a sustentabilidade.
Comentários