Défice da balança comercial aumentou para 1.547 milhões de euros em fevereiro

Tanto as importações como as exportações aumentaram no segundo mês do ano devido à subida do comércio intra-União Europeia, segundo o INE.

Peter Nicholls/Reuters

O défice da balança comercial portuguesa atingiu os 1.547 milhões de euros em fevereiro, depois de ter registado um aumento homólogo 170 milhões de euros, segundo os dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

No segundo mês do ano, tanto as importações como as exportações aumentaram devido sobretudo à subida do comércio intra-União Europeia, tendo apresentado variações homólogas nominais 3,4% e 0,9%, respetivamente.

O organismo de estatística refere ainda que se destacaram os acréscimos nas exportações de combustíveis e lubrificantes (+44,2%) e nas importações de material de transporte (+17,5%), principalmente outro material de transporte (aviões).

“Excluindo os Combustíveis e lubrificantes, as exportações diminuíram 1,1% e as importações cresceram 3,6% (respetivamente +1,3% e -4,5%, em janeiro de 2020)”, pode ler-se ainda no relatório do INE, que ainda não refletem o verdadeiro impacto da pandemia de Covid-19 na compra e venda de bens.

No trimestre que terminou em fevereiro, as exportações e as importações aumentaram 3,4% e 0,7%, pela mesma ordem, em relação ao trimestre que findou em fevereiro de 2019.

Recomendadas

Governo prevê desemprego de 9,6% este ano e 8,7% em 2021

A previsão consta do cenário macroeconómico que integra o Programa de Estabilização Económica e Financeira e não tinha sido divulgada na quinta-feira aquando da apresentação do plano pelo Primeiro-ministro.

Presidente alerta que plano de estabilização é “almofada” e não “milagre”

O presidente da República diz a situação do país “é brutal” e que “será um processo difícil” até se conseguir uma recuperação económica e social.

PremiumGoverno apresenta receitas para a retoma no pós-Covid-19

Alterações ao regime de ‘lay-off’, redução ou isenção do pagamento por conta e nova extensão de moratórias estão entre as principais medida do documento aprovado esta quinta-feira em Conselho de Ministros.
Comentários