Depois da Páscoa, gasolina recua pela primeira vez em 11 semanas. Gasóleo volta a subir

Os preços dos combustíveis em Portugal vão seguir em direções opostas após a Páscoa, com a gasolina a descer, após ter atingido um máximo de cindo meses, e o gasóleo a subir.

Os combustíveis vão seguir em direções opostas na próxima semana, após a Páscoa: gasolina desce, gasóleo sobe. Na segunda-feira, a gasolina vai descer pela primeira vez em onze semanas, ate meio cêntimo. Já o gasóleo sobe pela quarta semana, até 0,5 cêntimos, apurou o Jornal Económico junto de fontes do setor.

Esta semana ficou marcada pela crise dos combustíveis em Portugal. Na quarta-feira, em plena crise energética, os 2.776 postos registados na plataforma ‘Já não dá para abastecer’, registavam a falta de um dos dois combustíveis: ou gasolina, ou gasóleo. Este número é particularmente impressionante devido aos cerca de 3.000 postos que existem na totalidade em Portugal.

Já a semana em curso, com muitos portugueses a irem para a estrada devido às férias da Páscoa, ficou marcada por ser a décima semana consecutiva de aumentos para a gasolina, que renovou máximos de cinco meses, segundo dados da Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG). No caso do gasóleo, foi a terceira semana seguida de aumentos.

 

Combustíveis voltam a subir. Férias da Páscoa ficam mais caras

 

Ler mais
Recomendadas

Bancos dão ordem para executar totalidade da Coleção Berardo

CGD, BCP e Novo Banco deram à execução penhores sobre 100% dos títulos de participação dados como garantia de créditos de mais de 900 milhões.

ASAE apanha talhos a vender carne falsificada e estragada

As principais infrações registadas foram o abate clandestino, a venda de produtos alimentares estragados ou falsificados e a fraude sobre mercadorias, tanto em talhos de rua como em superfícies comerciais.

Caixa Geral concedeu crédito de 125 milhões a Isabel dos Santos sem avaliar situação financeira

Caixa concedeu crédito sem avaliar a situação financeira da empresário. Crédito foi criticado pelo Banco de Portugal. Banco era liderado por Fernando Faria de Oliveira em 2009. Fonte próxima da empresária disse que o “crédito está em dia e grande parte já foi amortizado”.
Comentários