Depois das fortes quedas de quarta-feira, Wall Street abre em baixa

As inscrições no desemprego nos Estados Unidos aumentaram na última semana, sugerindo uma recuperação mais lenta do mercado laboral devido às medidas restritivas para limitar a propagação de covid-19, indicam os números divulgados hoje.

Reuters

A bolsa de Nova Iorque seguia hoje mista no início da sessão, depois da divulgação de um aumento das inscrições no desemprego nos Estados Unidos na semana passada.

Às 15:10 (hora de Lisboa), o índice Dow Jones subia 0,20% para 26.814,97 pontos e o Nasdaq, dominado pelo setor tecnológico, avançava 0,56% para 10.694,44 pontos.

No entanto, o índice alargado S&P 500, que representa as 500 maiores empresas de Wall Street, registava um recuo de 0,09% para 3.233,85 pontos.

As inscrições no desemprego nos Estados Unidos aumentaram na última semana, sugerindo uma recuperação mais lenta do mercado laboral devido às medidas restritivas para limitar a propagação de covid-19, indicam os números divulgados hoje.

De acordo com o Departamento do Trabalho, entre 13 e 19 de setembro, 870.000 pessoas inscreveram-se para requerer subsídios de desemprego, um aumento de 4.000 em relação aos dados da semana anterior, que foram revistos. Os analistas esperavam que houvesse 825.000 pedidos.

Na quarta-feira, Wall Street registou uma forte descida, após uma sessão movimentada, em particular no setor tecnológico.

O Dow Jones cedeu 1,92%, o Nasdaq caiu 3,02% e o S&P 500 perdeu 2,37%.

Ler mais

Recomendadas

Bolsa de São Paulo cai 4,25% com novas restrições na Europa face à pandemia

A bolsa paulista registou assim a sua quarta queda consecutiva, enquanto o dólar norte-americano continua a subir e hoje valorizou 1,31%, fechando a sua cotação em 5,75 reais (0,85 cêntimos de euro) para compra e venda.

Wall Street fecha em queda acentuada e Dow atinge o valor mais baixo desde julho

As ações foram castigadas pela 2.ª vaga da Covid-19. A crescente pandemia e o fracasso de Washington em alcançar um acordo em torno de um novo estímulo fiscal antes das eleições de 3 de novembro levaram todos os três índices de ações a fecharem em queda de mais de 3%. O petróleo também sofreu uma queda significativa.

Covid-19 arrasa bolsas. DAX tomba 4% e PSI-20 perde 2% com derrocada da Galp

O petróleo continua a tendência descendente devido às restrições em numerosos países para travar a segunda vaga da pandemia de Covid-19, sobretudo nos Estados Unidos e Europa. A queda de 5% arrastou para perdas de 7% as ações da Galp. O índice alemão DAX tombou mais de 4% e liderou as quedas, castigado pelo anúncio da Chanceler alemã de um novo lockdown parcial no país durante o mês de novembro.
Comentários