Produção industrial acelera na UE e zona euro. Portugal entre os que tiveram maior aumento

Se compararmos os dados com julho de 2020, ano marcado pela pandemia, verifica-se um salto de 8,3% e 7,7%, na UE e zona euro.

Os países da União Europeia e zona euro viram o ritmo da produção industrial recuperar em julho depois de ter abrandado ligeiramente no mês anterior. Ainda assiml continua abaixo dos níveis pré-pandemia

De acordo com os dados divulgados, esta quarta-feira, pelo gabinete de estatística europeu Eurostat, em julho os Estados-membros viram o ritmo da produção industrial atingir 1,4%, enquanto que entre os países de moeda única a taxa foi de 1,5% quando comparado com junho de 2020 — altura em que caiu em 0,1% na zona euro mas manteve-se estável na UE.

Se os dados forem comparados com julho de 2020, ano marcado pela pandemia, verifica-se um salto de 8,3% e 7,7%, respectivamente.

Na zona euro em julho de 2021, face a junho de 2021, a produção de bens de consumo não duráveis cresceu 3,5%, os bens de capital 2,7%, os bens de consumo duráveis 0,6% e os bens intermediários 0,4%, enquanto a produção de energia caiu 0,6%. Por sua vez, no bloco europeu, a produção de bens de consumo não duráveis cresceu 2,8%, os bens de capital 2,4% e os bens intermediários 0,5%, enquanto a produção de energia se manteve estável e os bens de consumo duráveis caíram 0,2%.

Entre os 27 Estados-membros, o maior crescimento mensal verificou-se na Irlanda (+7.8%), Bélgica (+5.0%) e Portugal (+3.5%). Em contraciclo, surgem as quedas da Lituânia (-2.0%), Eslovéna (-1.8%) e a Croácia (-1.6%)

Recomendadas

DGERT. Despedimentos coletivos comunicados até agosto caem para 248

O número de despedimentos coletivos comunicados até agosto caiu para 248, perto de metade do registado no mesmo período do ano anterior, quando se verificaram 455 processos, segundo a Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT).

Presidência do Conselho de Ministros e Inspeção-Geral de Finanças assinam acordo para colaboração entre entidades

Em comunicado a presidência do Conselho de Ministros sublinha que a assinatura do protocolo “visa estabelecer a colaboração e articulação entre as entidades no quadro da alteração do regime de fiscalização das fundações privadas e do novo regime de fiscalização”.

Turismo: Siza anuncia nova linha de 150 milhões e apoio a fundo perdido de 15 mil euros por empresa

“Vamos lançar, nas próximas semanas, uma nova linha de crédito de apoio à tesouraria” das empresas do setor turístico, disse o ministro da Economia. Além disso, será lançado nos próximos dias o programa “Adaptar Turismo”, que funcionará como “um incentivo financeiro a fundo perdido aos investimentos no sector, num montante de até 15 mil euros por empresa”.
Comentários