Desde 2009 que não se vendiam tantas casas em Portugal

O ano de 2018 ficou também marcado por ser o ano em que se venderam mais casas novas desde 2011. Já o número de habitações existentes atingiu o valor mais alto desde 2009.

As vendas de casas (existentes e novas) em Portugal atingiu em 2018 um máximo de nove anos. Desde 2009 que não se vendiam tantas casas em Portugal: em 2018, o número de transações atingiu os  178.691 unidades. O mínimo desta série histórica foi atingido no ano de 2012, quando foram vendidas apenas 76.398 casas.

Analisando só a venda de casas novas em Portugal, estas transações subiram pelo quarto ano consecutivo, tendo registado em 2018 um total de 26.497 casas transacionadas. Este é o valor mais elevado desde 2011, ano em que foram realizadas 29.672 transações de novos espaços habitacionais, de acordo com os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgados esta segunda-feira, 25 de março.

No entanto, estes dois registos ainda se encontram muito distantes das 47.008 casas transacionadas no ano de 2010, o registo mais elevado da série histórica do INE. Em sentido inverso, o ano de 2014 foi aquele onde em Portugal se investiu menos em nova habitação, tendo sido transacionadas 19.904 casas. Curiosamente não foi em 2014, o trimestre em que se venderam menos casas novas. Esse facto aconteceu no primeiro trimestre de 2013, quando foram transacionadas 4.036 novas habitações, num total anual de 21.215.

No que diz respeito ao volume de transações de habitações existentes, verificou-se um aumento pelo sexto ano consecutivo. O ano de 2018 também ficou marcado por se ter sido o ano desde 2009 em que se verificou o maior número de casas existentes vendidas, num total de 152.212 unidades. O ano em que se venderam menos casas existentes desde 2009 foi em 2012, com  54.961 unidades.

Recomendadas

O que devem todos os cidadãos saber antes de decidir emigrar?

A DECO tem conhecimento de consumidores que arriscaram partir, em busca de soluções melhores para a sua vida, e encontraram armadilhas e um mundo de preocupações. As ofertas de trabalho no estrangeiro são comuns e parecem ser sempre aliciantes.

“Nem tudo são rosas”. Qual o impacto negativo de uma quebra nas taxas de juro?

Os bancos têm várias formas de captar o seu rendimento e se não conseguem fazê-lo ao nível dos créditos, vão aumentar comissões. “Nem tudo são rosas”, alerta João Morais Barbosa, administrador do Grupo Reorganiza.

Época de vacinação contra gripe começa hoje

Há dois milhões de vacinas disponíveis, 1,4 milhões para serem dadas gratuitamente a grupos de risco no SNS e cerca de 600 mil para venda em farmácias.
Comentários