“Dificuldades da Dielmar são evidentes“, defende Siza Vieira

“Não vale a pena pôr dinheiro fresco em cima de uma empresa que não tem salvação”, disse Siza Vieira sobre a Dielmar que pediu insolvência esta segunda-feira.

Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira | António Cotrim/Lusa

O ministro da Economia e Transição Digital, Pedro Siza Vieira considerou que “as dificuldades da Dielmar são evidentes” depois de a empresa ter anunciado insolvência, esta segunda-feira, 2 de agosto.

Em declarações aos jornalistas, Siza Vieira destacou que “as dificuldades da Dielmar são evidentes”, situação que o Estado acompanha a situação da empresa “há mais de uma década”.

Segundo o governante “os dinheiros públicos servem para apoiar empresas, salvaguardar os ativos das empresas”. “Não vale a pena pôr dinheiro fresco em cima de uma empresa que não tem salvação”, garantiu o ministro da Economia.

“O Estado ao longo dos anos foi assegurando a capitalização da empresa, primeiro entrando no capital com 30%. Depois em 2017, aquando de uma reestruturação financeira que a empresa passou”, referiu Siza Vieira, acrescentando que “mais de 8 milhões de euros públicos já estão a apoiar a empresa”, um valor que “se calhar o Estado não vai recuperar”.

A Dielmar pediu insolvência esta segunda-feira e em comunicado a que a “Lusa” teve acesso a empresa destacou que os últimos 16 meses foram “longos e duros” e que foi preciso “um esforço imenso e solitário” para conseguir sobreviver e manter os atuais cerca de 300 postos de trabalho.

Os trabalhadores da Dielmar ficaram descontentes coma decisão e como tal  vão concentrar-se na segunda-feira junto aos Paços do Concelho de Castelo Branco, avançou a “Lusa”.

Relacionadas

Concentração de trabalhadores da Dielmar na segunda-feira em Castelo Branco

A empresa, com sede em Alcains, concelho de Castelo Branco, e cerca de 300 trabalhadores, pediu a insolvência ao fim de 56 anos de atividade, uma decisão que a administração atribui aos efeitos da pandemia.

Sindicato do sector têxtil pede medidas para evitar paragem da laboração na Dielmar

“É uma situação que não devia ter acontecido”, declarou a dirigente, adiantando que o sindicato, com sede na Covilhã, “não estava a contar com a apresentação da empresa à insolvência”.

Empresa de vestuário Dielmar pediu insolvência (com áudio)

A empresa de vestuário Dielmar, com sede em Alcains, Castelo Branco, e cerca de 300 trabalhadores, pediu a insolvência ao fim de 56 anos de atividade, uma decisão que a administração atribui aos efeitos da pandemia de Covid-19.
Recomendadas

PremiumDavid Card: o Nobel da Economia com preocupações sociais

David Card estava em casa quando lhe ligaram a dizer que tinha ganho o Prémio Nobel. Vestindo um casual roupão, foi fotografado pela sua mulher, Cynthia Gessele, enquanto era entrevistado ao telefone pelo site oficial dos galardões suecos, o www.nobelprize.org.

O principal desafio para o sector das pescas é tecnológico

O presidente da Associação dos Armadores de Pesca Industrial diz que a frota precisa de um salto tecnológico que a União Europeia deveria impor e apoiar quanto antes.

Cabo Verde. Quase 400 mil cabo-verdianos escolhem novo Presidente na terceira eleição num ano

O Tribunal Constitucional admitiu as candidaturas de José Maria Pereira Neves, Carlos Veiga, Fernando Rocha Delgado, Gilson Alves, Hélio Sanches, Joaquim Jaime Monteiro e Casimiro de Pina. É a primeira vez que Cabo Verde regista sete candidatos oficiais a Presidente da República em eleições diretas
Comentários