Discurso de Trump na ONU e pedido de ‘impeachment’ penalizam Wall Street

A bolsa norte-americana tinha aberto no ‘verde’ mas o contexto político acabou por ditar uma inversão da tendência.

A Bolsa de Nova Iorque inverteu a tendência e encerrou a sessão desta terça-feira, dia 24 de setembro, em terreno negativo, depois de Donald Trump ter aproveitado o palco da Assembleia-Geral das Nações Unidas para criticar a China e ter sido noticiado que líder da maioria democrata na Câmara de Representantes iria ainda hoje formalizar um pedido de impeachment ao presidente.

De acordo com o jornal “Washington Post”, Nancy Pelosi pretende avançar com o processo assim que terminar a reunião com os congressistas democratas, que decorre à porta fechada, para que Donald Trump saia da Casa Branca. Perante este contexto de incerteza política no país, o S&P 500 registou mesmo a maior queda do mês.

Os principais índices de Wall Street iniciaram o dia com perdas, com o industrial Dow Jones a recuar 0,53%, para os 26.807,77 pontos, o financeiro S&P 500 a deslizar 0,84%, para os 2.966,61 pontos, e o tecnológico Nasdaq a tombar 1,46%, para os 7.993,63. O Russel 2000 ficou marcado por uma perda de 1,67%, para os 1.535,70 pontos.

Entre os títulos mais penalizados destacaram-se, por exemplo, os bancos Citigroup (-2,37%, para 67,90 dólares), Bank of America (-1,96%, para 28,94 dólares) e J.P. Morgan Chase (-1,30%, para 117,33 dólares).

Os mercados financeiros norte-americanos tinham arrancado com ganhos, fruto das declarações do secretário do Tesouro norte-americano Steven Mnuchin que sinalizaram um aliviar das tensões comerciais entre as duas maiores potências do mundo. Em causa estava o facto de Washington ter confirmado que as negociações comerciais com a China seriam retomadas dentro de duas semanas (entre o próprio Steven Mnuchin, Robert Lighthizer e o vice-primeiro-ministro chinês).

O preço do barril do petróleo está com fortes quedas. A cotação do barril de Brent está a cair 3,46%, com valor de 52,63 dólares, enquanto a cotação do crude WTI desce 2,53%, para 56,92 dólares por barril. Quanto ao mercado cambial, o euro aprecia 0,26% face ao dólar (1,1020) e a libra desvaloriza 0,51% perante a divisa dos Estados Unidos (1,2492).

Ler mais

Recomendadas

PremiumRisco de continuidade do negócio é o mais relevante para as empresas

Um estudo da MDS revela que a possibilidade de recuperação em ‘V’ é, do lado das empresas, uma miragem: um a três anos é o tempo mínimo esperado de regresso à atividade pré-pandemia.

Wall Street fecha semana com ganhos ligeiros. Nasdaq reflete dados da criação de emprego

O Nasdaq Composite registou a única queda da sessão: 0,87% para 11,010.98 pontos. Foi a maior vítima da sessão de uma conjugação de fatores: a criação de empregos nos EUA e a negociação do pacote de estímulos fiscais.

Aumento de capital da EDP não anima investidores. PSI-20 encerra no ‘vermelho’

O PSI-20 fecha a sessão de hoje a desvalorizar 0,25% para 4.362,62 pontos à boleia da EDP que desvaloriza 0,73% depois de ter completado o aumento de capital que vai financiar a compra da espanhola Viesgo.
Comentários