Dono da Ikea investe mais quatro mil milhões de euros na transição para energias renováveis

O grupo tem adotado vários comportamentos para cumprir as metas propostas no Acordo de Paris, nomeadamente a utilização de energia renovável nas suas instalações e a adoção de um modelo de negócio circular realizado através da recolha de móveis antigos para que estes ganhem uma nova vida.

O grupo Ingka, que detém a retalhista Ikea, vai acelerar a transição para energias renováveis dentro da empresa e irá investir quatro mil milhões de euros adicionais face ao valor que tem investido ao longo dos anos. O grupo Ingka, do qual a Ikea Portugal faz parte, irá realizar o investimento esta quinta-feira, 22 de abril, no dia em que se comemora o Dia da Terra, como compromisso na transformação ambiental.

De acordo com comunicado do grupo Ingka, este investimento irá “apoiar a redução da pegada climática da empresa e permitirá uma transição mais ampla para a neutralidade carbónica da sociedade tendo em vista um mundo melhor, mais verde e mais justo para todos”.

Durante os últimos dez anos, o dono da Ikea já investiu 2,5 mil milhões de euros em energia renovável, tanto nas suas instalações mundiais como em parques eólicos e solares. Este investimento permitiu que a empresa gerasse mais energia renovável do que aquela que consome a nível global. “Ao entrarmos numa década crítica para a ação climática, esta aceleração feita pela Ingka Investments, com quatro mil milhões de euros adicionais assinala o próximo passo na direção de tornar a energia do grupo 100% renovável, em toda a sua cadeia de valor”, destaca a empresa em comunicado.

“Estamos na década mais importante da história da humanidade. As alterações climáticas já não são uma ameaça distante e todos devemos fazer a nossa parte para limitar o aquecimento global a 1,5ºC. Se não agirmos, as consequências são muito graves e teremos riscos substanciais para os nossos negócios e para as pessoas. Sabemos que, com os investimentos certos, podemos fazer parte da solução e reduzir o impacto na casa que todos partilhamos – o nosso planeta – enquanto preparamos o nosso negócio para o futuro. Para nós, é um bom negócio ser um bom negócio”, aponta Jesper Brodin, CEO do Grupo Ingka.

Este compromisso destacado por parte do grupo Ingka faz parte do Acordo de Paris, que prevê limitar o aumento do aquecimento global em 1,5ºC, acima dos níveis pré-industriais. A Ikea tem adotado vários comportamentos para cumprir as metas propostas no Acordo de Paris, nomeadamente a utilização de energia renovável nas suas instalações e a adoção de um modelo de negócio circular realizado através da recolha de móveis antigos para que estes ganhem uma nova vida.

Os quatro mil milhões de euros adicionais vão concentrar-se no desenvolvimento de projetos eólicos e solares. De relembrar que a Ikea apostou recentemente na venda do sistema de energia solar SOLSTRÅLE. O grupo irá ainda considerar investimentos nas aéreas de armazenamento de energia, desenvolvimento de combustível de hidrogénio e infraestruturas de carregamento.

Recentemente, o grupo Ingka adquiriu uma participação de 49% em oito parques solares fotovoltaicos na Rússia, cuja capacidade de energia é igual a 160 megawatts e irá disponibilizar eletricidade suficiente para abastecer todas as 17 lojas IKEA na Rússia, além de parte dos centros comerciais localizados em todo o país.

Atualmente, o dono do Ikea possui e administra 547 turbinas eólicas, dez parques solares em 15 países e 935 mil painéis solares nos telhados das lojas e armazéns Ikea, o que permite elevar a energia renovável instalada total para mais de 1,7 GW.

Ler mais
Recomendadas

Exportações de vinhos portugueses sobem 13% para mais de 200 milhões de euros até março

Já entre os países terceiros, destacam-se as exportações de vinhos portugueses para o Brasil (+38,5%) e Reino Unido (+9,41%), com 15,51 milhões de euros e 14,04 milhões de euros, respetivamente.

Da amnésia nas CPIs à dimensão do movimento #MeToo em Portugal. Ouça o podcast “Maquiavel para Principiantes” de Rui Calafate

“Maquiavel para Principiantes”, o podcast semanal do JE da autoria do especialista em comunicação e cronista do “Jornal Económico”, Rui Calafate, pode ser ouvido em plataformas multimédia como Apple Podcasts e Spotify.

Sporting CP. Plantel valorizou 21% esta época. Entrada direta na Champions rende 23 milhões

O talento da formação foi uma das grandes apostas do Sporting CP para a presente temporada, algo que suscitou desconfiança por parte dos analistas do futebol, por considerarem que o “fosso” para os rivais era demasiado grande para ser combatido com jogadores jovens. Mas Rúben Amorim, também ele um jovem treinador, não só discordou de tais afirmações, como colocou em prática aquilo que sempre foi a estratégia dos ‘leões’ desde a criação da Academia, em 2002.
Comentários