Dose tripla da vacina da Moderna aumenta proteção contra variantes brasileira e sul-africana

As vacinas de reforço, administradas a voluntários previamente inoculados com o regime de vacina de duas doses da Moderna, também aumentaram os anticorpos contra a Covid-19.

REUTERS/Dado Ruvic/Illustration

A Moderna revelou que os primeiros dados de testes realizados em humanos demostram que uma terceira dose da sua vacina contra a Covid-19 aumenta a imunidade contra as variantes detetadas no Brasil e na África do Sul, segundo “Reuters”.

As vacinas de reforço, administradas a voluntários previamente inoculados com o regime de vacina de duas doses da Moderna, também aumentaram os anticorpos contra a Covid-19, referiu a Moderna.

“Sentimo-nos entusiasmados com estes novos dados, que reforçam a nossa confiança de que a estratégia de reforço deve proteger contra as novas variantes da Covid-19”, disse Stephane Bancel, diretor executivo da Moderna, em comunicado.

Os primeiros dados são resultado de um teste realizado a 40 pessoas que testaram a vacina da Moderna e uma versão alternativa desenvolvida para proteger contra a variante sul-africana do vírus SARS-CoV-2 chamada mRNA-1273.351. A Moderna também está a preparar uma vacina que combine a versão alternativa com a que já existia.

Os resultados mostram que enquanto as doses tripla de qualquer uma das versões da vacina aumentaram os anticorpos contra todas as variantes da Covid-19 testadas no estudo, o novo reforço teve uma resposta maior contra a variante sul-africana do que a vacina original.

As novas variantes da Covid-19 descobertas pela primeira vez na África do Sul e no Brasil são consideradas mais resistentes às vacinas existentes.

Relacionadas

Moderna vende 500 milhões de doses da sua vacina à iniciativa COVAX

A empresa norte-americana fornecerá até 466 milhões de doses em 2022. A Moderna junta-se assim à AstraZeneca, Pfizer e Johnson&Johnson na missão de fornecer vacinas a países com menos rendimentos.

Moderna espera produzir até três mil milhões de doses da vacina contra a Covid-19 até 2022

A farmacêutica também disse que está a aumentar as suas expectativas para a produção de vacinas em 2021 e aponta para uma capacidade entre 800 milhões e mil milhões de doses.

Vacina da Moderna vai ser revista para possível uso de emergência pela OMS

Até ao momento a OMS aprovou as vacinas contra a covid-19 desenvolvidas pela Pfizer, AstraZeneca e Johnson & Johnson.
Recomendadas

Arraial da IL em Lisboa com parecer desfavorável da DGS para atividades que extravasem comício

A Iniciativa Liberal (IL) promove este sábado um “Arraial Liberal” em Santos, Lisboa, com animação e 20 barraquinhas, mas a autoridade de saúde deu parecer desfavorável a todas as atividades que extravasem o comício político, e recomendou distanciamento.

PremiumEuro2020 pode ser pontapé para relançar mercado publicitário das marcas

Cobertura mediática será maior do que em 2016, mas é pouco provável que se traduza em recordes de audiências, dizem especialistas. Ainda assim, as marcas deverão aproveitar a oportunidade.

Banco Mundial responsabiliza vacinação desigual por recuperação económica a dois tempos

A diretora-geral do Banco Mundial, Ngozi Okonjo-Iweala, afirmou este sábado, numa conferência à margem da cimeira do G7, que a distribuição desigual de vacinas vai ter impacto na recuperação económica mundial, em especial em África e na América Latina. 
Comentários