EAD abre filial na Roménia

Bruno Amaro, empresário radicado na Roménia há 12 anos, será o CEO da empresa local.

A EAD, empresa portuguesa especializada em soluções de gestão documental, iniciou o seu processo de  internacionação, iniciando pela região do Leste europeu, com a abertura de uma filial na Roménia.

“Denominada EAD RO, a nova empresa irá prestar serviços de ‘Business Process Outsourcing (BPO)’ na otimização de processos documentais das organizações locais, com soluções para diversas áreas das empresas, como despesas de pessoal, ‘accounts payable’, ‘mailroom’ digital e armazenamento na nuvem”, esclarece um comunicado da empresa.

De acordo com esse documento, “a EAD RO irá, ainda, prestar serviços de desenvolvimento aplicacional na área dos sistemas de gestão documental (DMS), com o ‘software’ ‘Read, Write & Share (RWS)’, uma solução de gestão documental e ‘workflow’ desenvolvida pela EAD e disponibilizada em ‘SaaS’ (‘Software as a Service’), personalizável de acordo com as necessidades de cada organização”.

“Em Portugal, esta solução já conta com mais de cinco mil utilizadores registados”, garante o referido comunicado.

Paulo Veiga, fundador e CEO da EAD, assinou, esta segunda-feira, dia 4 de novembro, formalmente o contrato para a criação da filial, em Bucareste, onde ficará sediada a empresa.

Bruno Amaro, empresário radicado na Roménia há 12 anos, será o CEO da empresa local.

“A Roménia apresenta uma economia em expansão, com enorme potencial para desenvolvimento de soluções de BPO, incluindo a desmaterialização de documentos. A crescente procura de multinacionais para a implementação dos processos que implementamos em Portugal noutros países onde operam foi o grande motor para esta expansão, mas não só: queremos ajudar a tornar as organizações e empresas romenas a tornarem os seus processos de negócio mais eficientes”, disse Paulo Veiga.

“A vasta experiência da EAD e a necessidade crescente de ‘know-how’ qualificado no mercado romeno tornam esta filial num desafio motivante no setor da gestão documental. As organizações na Roménia têm muito a aprender em matéria de gestão documental e não há melhor altura para o fazer do que agora”, considerou Bruno Amaro.

O Grupo EAD, atualmente com 26 anos de existência, especificamente vocacionado para a gestão de documentação e implementação de novos processos de negócio, é um ‘Document Management Solutions Provider’, que avalia métodos de trabalho em arquivo e gestão documental e que conceptualiza, apresenta e implementa soluções ajustadas às necessidades dos seus clientes.

Pertencem ao Grupo EAD, a EAD – Empresa de Arquivo de Documentação, e a tecnológica Fin-Prisma.

O Grupo EAD abrange todo o território nacional, incluindo as regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Com mais de mil clientes em carteira, 167 colaboradores, 33 950 metros quadrados de área coberta de custódia, 800.000 contentores com documentação, 32.800 volumes de documentos entregues e 176.700 cópias de originais disponibilizados, o Grupo EAD fechou o ano de 2018 com uma faturação de 5,1 milhões de euros e um resultado líquido de 667 mil euros, prevendo-se para 2019, em linha com os objetivos definidos, uma faturação de seis milhões de euros.

Ler mais
Recomendadas

Linha gratuita da Anacom de apoio à migração da rede TDT arranca hoje

A partir desta sexta-feira, qualquer utilizador da TDT pode ligar gratuitamente para o 800 102 002 e tirar dúvidas sobre o processo de libertação da faixa dos 700 Mhz, para dar lugar à quinta geração móvel (5G).

Regras da EBA sobre divulgação de malparado para bancos pequenos entram em vigor a 31 de dezembro

“O Conselho de Administração do Banco de Portugal aprovou a Instrução n.º 20/2019 que introduz no quadro normativo nacional as Orientações da Autoridade Bancária Europeia (EBA) sobre a divulgação de exposições não produtivas e exposições reestruturadas por parte das instituições de crédito menos significativas”, anuncia o supervisor bancário nacional.

Turismo: Dormidas a norte continuam em alta. Madeira é a única região a recuar

Segundo o INE, o Algarve concentrou 33,8% das dormidas, seguindo-se a AM Lisboa (23,9%) e o Norte (14,9%), sublinhando ainda que, desde o início deste ano, são de realçar os acréscimos no Norte de 9,6%,  de 7,9% no Alentejo e na RA Açores de 6,5%.
Comentários