EasyJet compra vagas da Thomas Cook em dois aeroportos em Inglaterra

Após a falência da Thomas Cook, são várias as companhias ligadas ao turismo que tentam preencher as vagas deixadas pela empresa britânica, mas para já, a EasyJet parece estar numa posição privilegiada para assegurar o que resta da agora extinta Thomas Cook.

No seguimento da falência da Thomas Cook várias empresas de aviação têm competido para assegurar as vagas deixadas pela empresa de viagens britânica. A EasyJet chegou-se à frente e assegurou as vagas nos aeroportos de Bristol e Gatwick por 53 milhões de euros, segundo a Reuters.

As vagas compradas dividem-se entre as estações de verão e inverno, sendo que no aeroporto de Bristol a EasyJet adquiriu seis vagas de verão e uma de inverno, e em Gatwick adquiriu doze vagas de verão e oito de inverno.

Após a falência da Thomas Cook, são várias as companhias ligadas ao turismo que tentam preencher as vagas deixadas pela empresa britânica, mas para já, a EasyJet parece estar numa posição privilegiada para assegurar o que resta da agora extinta Thomas Cook.

Recomendadas

Ministro do Ambiente afirma que processo do lítio em Montalegre é “cristalino”

João Pedro Matos Fernandes afirmou que “é óbvio” que os argumentos das populações são importantes, bem com os das autarquias”, e lembrou que durante a avaliação de impacto ambiental vai decorrer uma consulta pública.

Novo Banco confirma que a venda carteira de malparado Nata II foi autorizada pelo Fundo de Resolução

O banco confirma assim a notícia avançada hoje pelo Jornal Económico. O Novo Banco já registou nas contas a venda da carteira de malparado ao fundo Davidson Kempner.

Estas são as sugestões dos gestores de marketing para impulsionar a marca Portugal

O ‘think-thank’ Portugal Agora desafiou quatro gestores de Comunicação e Marketing a apresentar medidas para divulgar o país enquanto produto/marca. “Basta tirar peso e dar suporte às empresas para que possamos atrair talento e ideias. Já existem coisas soltas, mas é preciso juntar as várias peças e criar um espaço onde se reúna tudo: uma espécie de Alentejo tecnológico”, defendeu o responsável da Novabase.
Comentários