EasyJet compra vagas da Thomas Cook em dois aeroportos em Inglaterra

Após a falência da Thomas Cook, são várias as companhias ligadas ao turismo que tentam preencher as vagas deixadas pela empresa britânica, mas para já, a EasyJet parece estar numa posição privilegiada para assegurar o que resta da agora extinta Thomas Cook.

No seguimento da falência da Thomas Cook várias empresas de aviação têm competido para assegurar as vagas deixadas pela empresa de viagens britânica. A EasyJet chegou-se à frente e assegurou as vagas nos aeroportos de Bristol e Gatwick por 53 milhões de euros, segundo a Reuters.

As vagas compradas dividem-se entre as estações de verão e inverno, sendo que no aeroporto de Bristol a EasyJet adquiriu seis vagas de verão e uma de inverno, e em Gatwick adquiriu doze vagas de verão e oito de inverno.

Após a falência da Thomas Cook, são várias as companhias ligadas ao turismo que tentam preencher as vagas deixadas pela empresa britânica, mas para já, a EasyJet parece estar numa posição privilegiada para assegurar o que resta da agora extinta Thomas Cook.

Recomendadas

CAP contesta medidas sobre pagamentos e lamenta posição do Governo

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) contestou hoje as medidas sobre os pagamentos diretos para 2022, acusando o Ministério da Agricultura de desprezar “um leal e correto procedimento de consulta”, uma vez que estas não foram discutidas.

Confederação do Comércio e Serviços aplaude as novas medidas

Em comunicado, a entidade registou ainda “como positivo que a avaliação do nível de risco se baseie no critério da taxa de vacinação da população, ultrapassando as deficiências manifestas que a chamada ‘matriz de risco’ já evidenciava”.

Ramada dispara lucros semestrais para 6,2 milhões de euros

O resultado líquido consolidado registado no primeiro semestre de 2021 no valor de 6,17 milhões, apresentou um crescimento de 143,2% face ao resultado líquido do período homólogo do ano anterior.
Comentários