EDP Renováveis e NOS levam PSI 20 ao vermelho. Praças europeias amanhecem mistas

O PSI20 abriu a sessão desta quinta-feira a cair ligeiramente 0,02%, para 4.852,45 pontos. Já as praças europeias negoceiam mistas.

Reuters

O principal índice bolsista português, PSI 20, iniciou a sessão desta quinta-feira a desvalorizar 0,02%, para 4.852,45 pontos, seguindo a tendência vermelha europeia.

A afundar a bolsa nacional está a EDP Renováveis, que cai 0,63%, para 9,52 euros e a NOS que recua 0,56%, para 5,32 euros. A descer está também a Navigator (0,53%), para 2,99 euros, a RENE que desvaloriza 0,40%, para 2,52 euros e a Cofina que cai 0,40%, para 0,49 euros.

Em território positivo encontra-se a Pharol que cresce 2,10%, para 0,11 euros. Já a Francisco Ramada sobe 1,61%, para 6,30 euros e o BCP que valoriza 0,83%, para 0,20 euros.

As principais praças europeias iniciaram a sessão a negociarem mistas. Na Alemanha, o DAX cresce 0,09%, no Reino Unido, o FTSE 100 cai 0,37%, o francês CAC 40 desvaloriza 0,13%, o holandês AEX desce 0,17%. Em Espanha, o IBEX35 sobe 0,59% e o italiano FTSE MIB valoriza 0,33%.

A cotação do barril de Brent sobe 0,20%, para 60,42 dólares, enquanto a cotação do crude WTI cresce 0,34%, para 55,87 dólares por barril.

No mercado cambial o euro valoriza 0,21%, para 1,11 dólares.

Ler mais
Recomendadas

Ataques na Arábia Saudita fazem Dow Jones quebrar oito dias de ganhos

Os títulos das transportadoras aéreas JetBlue Airways (-3,05%, para 16,86 dólares), da United Airlines (-2,84%, para 88,76 dólares) e da American Airlines (-7,28%, para 27,27 dólares) reagiram em baixa à notícias dos ataques à petrolífera saudita.

Galp à boleia da escalada do petróleo põe PSI 20 em alta em contra-ciclo

A bolsa portuguesa encerrou o dia em alta em linha com a Europa. O petróleo foi a estrela da sessão. A justificar esteve o ataque a duas instalações petrolíferas na Arábia Saudita por drones, o que fez reduzir a capacidade de produção para menos de metade.

Respostas Rápidas: combustíveis em Portugal vão aumentar com a subida dos preços do petróleo?

Não haverá nenhuma crise de abastecimento, não vai faltar petróleo no mercado, mas é óbvio que isto causa nervosismo nos mercados financeiros e era natural que houvesse uma subida de preços hoje”, disse o hoje o secretário-geral da Associação Portuguesa de Empresas Petrolíferas.
Comentários