EDP Renováveis produziu mais 5% de eletricidade

A América do Norte em termos de produção de eletricidade e de nova capacidade instalada.

A primeira central eólica marítima (offshore) em Portugal já produziu eletricidade suficiente para abastecer 60 mil famílias durante um ano. A eletricidade é transportada para terra através de um cabo submarino

A EDP Renováveis produziu mais 5% de eletricidade nos primeiros nove meses deste ano para 20.355 gigawatts hora (GWh).

Nos principais mercados, a produção manteve-se estável na América do Norte nos 12.365 GWh, enquanto que na Europa cresceu 10% para 7.880 GWh, à boleia do aumento de capacidade.

Em termos de capacidade instalada, a companhia acrescentou mais 1.200 megawatts (MW) face a período homólogo: América do Norte (678 MW), Europa (306 MW) e América Latina (204 MW).

Na América do Norte, a produção refletiu a “nova capacidade instalada em operação neutralizada pelo menor recurso”.

No Brasil, a “produção aumentou 53% devido à maior capacidade instalada em conjunto com maior recurso”.

A EDP Renováveis diz que “continua a acelerar o crescimento com um portfólio de 13,0 gigawatts (GW) em operação e uma maior diversificação tecnológica com mais de 1 gigas de capacidade solar e 1,5 gigas de capacidade bruta offshore em operação e construção”.

Recomendadas

Consumo de combustíveis volta recuperar em setembro e cresce 10,46%, segundo a ENSE

O consumo de combustíveis aumentou 10,46% em setembro, num “contexto de progressiva normalização” do país e da economia, adiantou hoje, segunda-feira, a Entidade Nacional para o Setor Energético (ENSE), em comunicado.

Empresas vão receber mais de 12 mil milhões de euros do PRR e do Portugal 2030

As verbas acumuladas dos dois programas perfazem um acréscimo de 75% face ao que as empresas receberam no Portugal 2020, realçou ainda Nelson de Souza, esclarecendo que, nos próximos quadros de financiamento, vai “haver muito mais incentivos às empresas para a área das alterações climáticas”.

OE2022. Prazo para comunicação de faturas passa para dia 5 do mês seguinte ao da emissão

O prazo para as empresas remeterem à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) as faturas vai passar do dia 12 para o dia 5 do mês seguinte ao da emissão, segundo a proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022).
Comentários